quarta-feira, 19 de abril de 2017

Jair confirma Pimpão e compara Barcelona ao Atlético Nacional: "Mais competitivo"


Atacante se recupera de desconforto na coxa e está à disposição para a partida desta quinta-feira. Treinador deve manter a mesma equipe que venceu na Colômbia






Muito bem humorado, o técnico Jair Ventura concedeu entrevista coletiva no fim da tarde desta quarta-feira e confirmou apresença de Rodrigo Pimpão, na partida contra o Barcelona de Guayaquil, nesta quinta, pela Libertadores. Recuperado de um descoforto muscular na coxa esquerda, o atacante é uma das apostas do treinador para surpreender o adversário, que, segundo ele, é mais competitivo do que o Atlético Nacional.


- É o mesmo sistema no 4-2-3-1, mas com uma força física maior. Vejo um time mais competitivo também. Nosso objetivo é equiparar isso. O jogo será de duas equipes com bastante força física e quem tiver mais frieza levará a melhor. Falta muita coisa para acontecer, mas com um bom resultado poderemos dar um passo grande para a classificação.


Jair Ventura não revelou a estratégia que pretende adotar na partida desta quinta-feira, no Estádio Monumental, mas dificilmente deve fugir da escalação que venceu o Atlético Nacional, na Colômbia. Invicto na competição até agora, ele descarta qualquer favoritismo no Grupo 1.


- Não pensamos em favoritismo. São muitas equipes boas e com um poder aquisitivo até maior. Vejo um grupo equilibrado e todas as equipes têm chances. Caso a gente consiga vencer, também não estaremos classificados. Pelo nível de competitividade, a classificação deve ser para o final da fase. Está muito equilibrado.


Confira outros pontos abordados na coletiva

Da luta pelo rebaixamento para uma Libertadores

- Bom, né? Com os pés no chão. Quando assumi na zona do rebaixamento, eu sabia que nosso time não era um dos piores do Brasil. Hoje não é porque estamos disputando uma grande competição podemos nos considerar os melhores. O mundo do futebol é assim. Você vai do céu ao inferno muito rápido. Espero que o Botafogo possa voltar a lutar sempre pela Libertadores. Esse é o trabalho que nossa gestão está querendo, depois que assimiu um clube arrasado em dívidas. Daqui a alguns anos poderemos responder com propriedade que somos os favoritos. Espero estar aqui.


Falta de reconhecimento do Monumental (Chuva)

- São coisas do futebol e não podemos lamentando, vamos lá. Não é o ideial, pois queríamos fazer o reconhecimento do estádio, mas deu para trabalhar o que estava planejado. Vamos com força máxima amanhã.


Chuva caiu forte na tarde desta quarta-feira na cidade de Guayaquil (Foto: Felippe Costa)


Derrota na final da Taça Rio

- Não fez mal. Antes do jogo do Vasco, nós tínhamos cinco vitórias consecutivas. Estou muito orgulhoso de todos os jogadores, mesmo com um time de meninos. Nós acabamos com um a menos e tomando um gol aos 41 minutos de bola parada. Fizemos um jogo de igual para igual e é um motivo de muito orgulho para o treinador.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, GloboEsporte.com, Guayaquil, Equador