terça-feira, 25 de abril de 2017

Jair iguala número de jogos de 2016 no Botafogo com desempenho ainda maior


Técnico alvinegro chega a 22 partidas na temporada com 60,6% de aproveitamento, quase 2% acima da caminhada no ano passado que terminou com a vaga na Libertadores





Jair em seus primeiros treinos após efetivação (esq.) e atualmente (dir.) (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Em que pese a eliminação na semifinal do Campeonato Carioca, o Botafogo de Jair Ventura vai muito bem, obrigado. À frente de um dos times de melhor campanha na Libertadores até aqui, o comandante alvinegro alcançou o mesmo número de jogos que liderou a equipe no ano passado, 22 partidas, mas com desempenho ainda mais alto. Se em 2016 o treinador terminou a temporada – que contou com Copa do Brasil e a caminhada no Brasileirão rumo à principal competição do continente – com 59% de aproveitamento, hoje seu rendimento atual está em 60,6%.


Desde que foi efetivado a técnico principal, Jair acumula 44 jogos com 24 vitórias, sete empates, 13 derrotas e um aproveitamento de 59,8%. Números um pouco maiores do que seu antecessor, Ricardo Gomes, que em 66 partidas no clube somou 34 triunfos, 15 igualdades e 17 reveses, com 59% de desempenho. Mas, se considerado os quatro compromissos em que dirigiu o clube interinamente nos últimos anos, o rendimento total de Jair no Botafogo sobe para 60,4%.


Comparado a outros treinadores que passaram pelo Alvinegro no século XXI, sua média ainda está abaixo de nomes como René Simões (63,9%), Joel Santana (63,5%) e PC Gusmão (63,3%). Mas Jair não está longe de alcançá-los. E no que depender da diretoria, o treinador terá tempo suficiente para ultrapassar as marcas dos ex-profissionais no cargo. Internamente em General Severiano, o filho de Jairzinho Furacão conta com muito prestígio entre dirigentes e o respeito dos jogadores.



Técnico tem moral com a torcida e vira e mexe é tietado como os atletas (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)



Jair iniciou sua trajetória do Botafogo em 2008, com uma rápida interrupção no ano de 2014, quando deixou o clube no último ano da gestão de Maurício Assumpção e foi recontratado por Carlos Eduardo Pereira. Depois de ser treinador nas categorias de base e auxiliar técnico no time principal, ele está perto da marca de 50 jogos no comando profissional do clube. Títulos ainda não vieram, mas as classificações heroicas na Pré-Libertadores já ficaram marcadas no Alvinegro.


Visto como importante elo no maior aproveitamento de suas revelações no time principal, Jair mesmo fala em deixar um legado para o clube com o trabalho com os jovens. Ao mesmo tempo que se sente prestigiado, sabe que no Brasil o trabalho é avaliado em cima de resultados. E ele agora terá o fator casa a seu favor para conseguir aumentar ainda mais seu desempenho dirigindo a equipe: as próximas duas partidas serão no Estádio Nilton Santos. Nesta quarta, diante do Sport, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, e na terça-feira que vem, contra o Barcelona de Guayaquil, do Equador, pela quarta rodada do Grupo 1 da Libertadores.

Fonte: GE/Por Thiago Lima, Rio de Janeiro