segunda-feira, 22 de maio de 2017

Análise: Botafogo atingiu a maturidade defensiva? Desempenho beira a perfeição


Pela primeira vez na temporada, Alvinegro completa dois jogos seguidos sem sofrer gols, mas além disso vem oferecendo raras oportunidades aos adversários (Gatito agradece)





Linhas de marcação deixam Botafogo compacto e cirúrgico (Foto: Satiro Sodré/SSPress/Botafogo)


Qual foi o ponto forte do Botafogo no ano passado? Pergunte a qualquer alvinegro mais atento que ele terá a resposta na ponta da língua: a defesa. E depois de quatro meses, o time remodelado para 2017 parece ter atingido novamente a maturidade defensiva e pela primeira vez na temporada completou dois jogos seguidos sem sofrer gols. Tudo bem que foi jogando em casa, mas não foi contra adversários quaisquer: fez 1 a 0 no Atlético Nacional, líder do Campeonato Colombiano e atual campeão da Libertadores, e 2 a 0 na Ponte Preta, vice-campeã paulista que eliminou Santos e Palmeiras no estadual. Neste ano, a equipe de Jair Ventura tem oito jogos sem ser vazada, sendo um amistoso, três no Carioca, três na Libertadores e um no Brasileiro.


Veja a relação dos jogos sem sofrer gols:
Rio Branco-ES 0 x 4 Botafogo (amistoso)
Botafogo 1 x 0 Olimpia (Libertadores)
Botafogo 1 x 0 Volta Redonda (Carioca)
Vasco 0 x 0 Botafogo (Carioca)
Bangu 0 x 2 Botafogo (Carioca)
Atlético Nacional 0 x 2 Botafogo (Libertadores)
Botafogo 1 x 0 Atlético Nacional (Libertadores)
Botafogo 2 x 0 Ponte Preta (Brasileiro)


A última vez que havia conseguido terminar uma semana ileso foi entre outubro e novembro do ano passado, quando chegou a fazer três jogos seguidos sem ter a sua rede estufada: venceu o Santa Cruz fora por 1 a 0 e empatou com placar em branco com Coritiba e Flamengo. E os números comprovam que não sofrer gols já é meio caminho andado para a vitória: em só uma partida das que não foi vazado nesta temporada o Botafogo deixou de somar os três pontos. A média do time em 2017 é de praticamente um gol tomado por partida: foram 29 em 27 confrontos.



Gatito salva! Lucca chuta e goleiro defende com peito aos 22 do 1º tempo



Mas o que mais impressiona não é só o fato de não ter levado gols, e sim o de ter passado poucos sustos. Nas duas últimas partidas, o Botafogo só esteve realmente ameaçado em duas ocasiões: um cruzamento de Quiñónes que Gatito espalmou mal, a bola ficou pererecando entre as pernas de Carli, e Dayro Moreno quase aproveitou na pequena área, contra o Atlético Nacional; e quando Lucca recebeu de Nino Paraíba e finalizou da pequena área para grande defesa à queima-roupa de Gatito, diante da Ponte Preta (veja no vídeo). Desempenho que beira a perfeição em um universo de análise de 180 minutos.


O segredo da marcação eficiente é a entrega dos jogadores, claro, e o sistema tático de Jair Ventura, onde o Botafogo joga com duas linhas fixas: Arnaldo (Emerson Santos), Carli, Igor Rabello e Victor Luis na de quatro; Lindoso (Airton), Bruno Silva e João Paulo em uma de três logo à frente. Camilo, Pimpão e Roger têm mais liberdade, mas não deixam de marcar. Principalmente Pimpão, que tem função de acompanhar as subidas do lateral e acaba entrando em uma das linhas defensivas.


– A gente está conseguindo a compactação em todas as linhas, deixa mais fácil o trabalho da zona defensiva. Sendo que tem os volantes por perto, o Roger fazendo trabalho que centroavante não gosta de correr atrás dos volantes, mas é importante. Mas a compactação e a ajuda de todo mundo que está correndo, se doando ao máxima, estão ajudando para que não soframos gols. Temos que manter na Libertadores, Campeonato Brasileiro... – analisou Gatito.



Relax, Gatito! Defesa vai dando pouco trabalho ao goleiro (Foto: Satiro Sodré/SSPress/Botafogo)


Coincidentemente, os dois jogos seguidos sem sofrer gols foram com a nova dupla de zaga do Botafogo, formada por Carli e Igor Rabello. Os dois disputam a sua primeira Libertadores na carreira, mas a experiência do "xerife", de 30 anos, e o vigor físico do "general", de 22, casaram tão bem que eles parecem jogar juntos há tempos. E vão dando pouco trabalho para Gatito, que tem visão privilegiada lá de trás e os elogiou.


– Bom, graças a Deus eles estão fazendo um bom trabalho. Tem que ressaltar essa trabalho da zona defensiva, não somente deles, mas de todo o pessoal que está defendendo. Quem entra lá atrás tem jogado bem, temos grandes defensores que pode em qualquer momento nos ajudar. Mas realmente os dois estão fazendo um grande trabalho.


O Botafogo se reapresenta na tarde desta segunda-feira, no Nilton Santos, e inicia os preparativos para outra semana cheia: na terça-feira, o time viaja para a Argentina, onde enfrenta o já eliminado Estudiantes na quinta, às 21h45 (de Brasília), no Estádio Ciudad de La Plata, podendo valer a liderança do Grupo 1 da Libertadores. Pelo Brasileiro, o Alvinegro joga novamente em casa no domingo, às 19h, contra o Bahia. Com três pontos, o time é o 12º colocado da Série A.


Fonte: GE/Por Thiago Lima, Rio de Janeiro