segunda-feira, 12 de junho de 2017

Análise: Roger se destaca, e Jair encontra dificuldades com opções no banco



Atacante volta a marcar e sai de campo aplaudido. Com muitos desfalques, técnico é obrigado a colocar dois garotos em campo na segunda etapa





Roger comemora o gol diante do Coritiba (Foto: André Durão/GloboEsporte.com)


Como disse Jair Ventura na coletiva de imprensa, o Botafogo levou para a partida contra o Coritiba 11 jogadores da base. O número expressivo é retrato da falta de opções ofensivas no elenco, que segue com muitos jogadores lesionados e que ainda perdeu Sassá e Joel. Isso, por exemplo, pesou no final do jogo, quando o técnico foi obrigado a colocar os jovens Renan Gorne e Wenderson. Além dos torcedores, que compareceram em bom número no Nilton Santos, o destaque positivo foi a participação de Roger. Aplaudido ao sair, ele foi o autor de um dos gols no empate em 2 a 2.


- Eu tinha 11 meninos relacionados. Se eu tivesse o Alecsandro na reserva o colocaria, mas ele joga com a camisa do Coritiba. Roger é o nosso único atacante e resolvi preservá-lo. Ele corre, cansa e optei por isso. Não posso ficar 90 minutos sem fazer uma substituição. Enquanto não tivermos nossos jogadores mais experientes em condições, vou colocar os meninos - disse Jair Ventura.


Sem Camilo, lesionado, e Montillo, que começou no banco, João Paulo foi adiantado e ficou com a responsabilidade de ser o camisa 10, assim como fez diante do Santos. O meia jogou bem, se movimentou bastante e teve a ajuda de Bruno Silva, que se mandou para o ataque. Mas a forte marcação do Coritiba prejudicou as avançadas alvinegras.


Muito cobrado pelos torcedores, Roger provou que pode ser muito importante para o Botafogo na temporada. Na primeira chance que teve, marcou. Depois, quase ampliou em duas oportunidade. Sacado por Jair, que quis poupá-lo, ele saiu de campo aplaudido no segundo tempo. Rodrigo Pimpão que não estava em uma tarde boa! O atacante ficou muito mais presente na marcação dos laterias adversários do que em lances no ataque.


Carli: "dois" pênaltis e um gol

Capitão e referência no time, Carli acabou sendo o principal nome do jogo. O zagueiro cometeu dois pênaltis, sendo que o segundo muito contestado pelo Botafogo, e marcou o gol de empate. Ao seu lado, Igor Rabello mostrou mais uma vez segurança e que dificilmente vai deixar escapar essa oportunidade dada pelo técnico Jair Ventura, como fez Rodrigo Lindoso.



Gol do Botafogo! Carli se aventura no ataque e empata o jogo, aos 20 do 2º tempo


Por falar em meio, Matheus Fernandes teve rendimento razoável e acabou deixando o campo para a entrada de Montillo no segundo tempo. Visivelmente fora de ritmo, o argentino até que tentou algumas jogadas, mas não empolgou. Ele ainda perdeu a maior chance do jogo ao entrar sozinho e ter o chute defendido pelo goleiro do Coritiba.


Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Botafogo visita o Vitória, na Bahia. Para esse jogo, o técnico ainda não deverá colocar Montillo como titular e é bem possível que repita a escalação que começou a partida contra o Coritiba. Ainda com dores no ombro, Camilo segue como dúvida. Victor Luis também ainda não deve ter consições de jogo.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, GloboEsporte.com, Rio de Janeiro