terça-feira, 27 de junho de 2017

Gatito cita ajuda de Jefferson e pede união em prol de Montillo


Paraguaio elogia postura de seu companheiro e concorrente e lamento novo problema físico do argentino: "Pelo profissional que é, isso acaba doendo um pouco mais"





Gatito ao lado de Carli e Montillo (Foto: Divulgação)



Gatito foi o escalado para conversar com a imprensa após a reapresentação do Botafogo, no Estádio Nilton Santos. Mas o assunto do dia no clube foi Montillo. Após a suspeita de mais uma lesão – a quinta, caso confirmada –, o argentino deixou o jogo muito chateado e foi liberado pelo departamento de futebol nesta terça. O goleiro não desviou do tema, falou sobre o argentino e lamentou. Para ele, é o momento de o elenco se unir para ajudar o companheiro, muito abalado pela provável contusão na panturrilha direita.


– Não consegui falar com ele ainda. Imagino como ele deve estar se sentindo. Estou esperando ele esfriar a cabeça. O grupo, mais do que nunca, tem que estar bem fechado e ajudar o Montillo nesse momento difícil. Ele não está conseguindo desempenhar sua melhor performance. Ele é um grande profissional e sente bastante. Pelo profissional que é, isso acaba doendo um pouco mais – disse.



Jefferson e Gatito disputam a camisa 1 do Alvinegro (Foto: Vitor Silva /SSpres / Botafogo)

Além de Montillo, um outro jogador foi tema da coletiva de Gatito: Jefferson. De volta após mais de um ano recuperando-se de uma lesão no braço esquerdo, o goleiro ficou no banco nas partidas contra Vasco e Avaí. A disputa pela camisa 1 do Botafogo promete ser quente, porém, sadia.

– A disputa vai ser com muito respeito, que temos entre a gente, um profissionalismo grande. Cada um trabalhando para dar o melhor para o nosso clube, que é Botafogo. Minha relação com o Jefferson é muito boa. Ele me ajuda, fala sobre o jogo, as coisas que ele observa, me passa a experiência dele. Ele também me dá apoio, o que é o mais importante. É um cara muito humilde com todos os goleiros. Temos uma relação de bons companheiros. Eu estou na seleção paraguaia, e ele pode voltar daqui a pouco para a seleção brasileira. Isso para o Botafogo é muito bom.

Indagado se é diferente jogar tendo Jefferson no banco, Gatito elogiou a postura do companheiro.

– É diferente, o Jefferson é um líder dentro do grupo, um cara que fala muito antes do jogo, passa muita experiência no vestiário. Mas dentro de campo não penso nisso, fico focado no jogo.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro