quarta-feira, 14 de junho de 2017

Jair vê descuido do Bota: "Combinamos tanto de tomar cuidado nos 15min iniciais"


Após abrir 2 a 0 sobre o Vitória no Barradão e ceder o empate, técnico alvinegro lamenta queda de rendimento na etapa final e chance desperdiçada de voltar a vencer




Melhores momentos: Vitória 2 x 2 Botafogo pela 7ª rodada do Brasileirão

O Botafogo teve a faca e o queijo na mão para encerrar o jejum e voltar a vencer depois de quatro jogos. Mas após abrir 2 a 0 no Barradão, cedeu o empate para o Vitória no segundo tempo e teve que amargar um placar com sabor de derrota (veja os melhores momentos no vídeo acima). Depois da partida, Jair Ventura lamentou principalmente a desatenção do time, contando que cobrou cuidado extra nos primeiros 15 minutos na volta do intervalo.


- Tivemos um primeiro tempo muito bom, criamos bastantes chances e acabamos conseguindo só dois gols. No segundo, o fator casa. O Vitória jogando aqui é muito forte, vem de uma vitória importante sobre uma equipe superqualificada que é o Atlético-MG. Combinamos tanto de tomar cuidado nos 15 minutos iniciais, é uma máxima no futebol, sabia que existiria a pressão. E acabamos tomando um gol muito cedo, com quatro minutos. A equipe deles cresceu, depois ainda criamos as melhores oportunidades, mas não fizemos o terceiro. O Vitória lutou muito com o fator casa e conseguiu o empate - analisou o treinador.



Jair Ventura Sport x Botafogo Copa do Brasil (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)


Após mais um empate, o Botafogo chegou a nove pontos, mas se mantém na zona intermediária da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. O time retorna ao Rio de Janeiro na tarde desta quinta-feira e vai direto para um trabalho regenerativo no Nilton Santos. A equipe volta a campo no domingo, quando enfrenta a Chapecoense, às 16h (de Brasília), na Arena Condá.


Confira outros trechos da entrevista:

APRENDIZADO
A gente já sabe a lição, conversamos. Ser um pouco mais cirúrgico nas oportunidades que tivemos. Não foi falta de atenção. Temos um adversário também. Jogando em casa, perdendo por 2 a 0, foi para cima. Então foi isso que aconteceu. Vejo mais o mérito da equipe do Vitória, não demérito nosso. O Vitória soube jogar com a força da torcida, dentro de casa, conseguiu buscar o empate. O Botafogo não se acomodou com o placar. Era meu medo, mas não. Fomos para cima, criamos oportunidade, jogo ficou aberto, tudo poderia acontecer. O Vitória conseguiu o empate.


JEJUM DE VITÓRIAS
Não pesa. A gente tem a performance. O time vem jogando bem, o pior é quando não cria. Tivemos 16 chances de gol hoje. É muita coisa, mesmo jogando fora. A gente sabe que logo logo a vitória vai voltar. A gente está no caminho certo. Quando se trabalha com performance, ela não é motivo de desculpa. Lógico que todo mundo quer vencer. Mas quando não vence e está perfomando, a gente sabe que essa vitória vai aparecer.


RESULTADO AMARGO?
Você vem para cá e consegue um empate, não é uma situação ruim. Estávamos jogando fora de casa. Mas nas circunstâncias do jogo, ganhando de 2 a 0, não fico chateado com a performance da equipe, gostei da performance. Não temos que dar demérito para nossa equipe, mérito do adversário que buscou o gol. O Botafogo não fez nada de errado. O Vitória que teve força para buscar o empate.


NACIONAL-URU NA LIBERTADORESMais um campeão. Enfrentamos só campeões, na Pré-Libertadores, na fase de grupos também. Quando se chega a uma fase decisiva como essa não se pode escolher adversário. Voltar lá atrás o que fizemos desde janeiro na Pré-Libertadores, ser muito competitivo jogando fora e fazer o dever de casa para conseguir a classificação.


RECEITA NA LIBERTADORES
Nós acabamos perdendo apenas um jogo em casa. Na Pré-Libertadores vencemos todos em casa e empatamos fora. Tivemos uma derrota, mas que dava a classificação para a gente. É equilibrar essa situação, jogar bem fora de casa também e fazer o dever de casa, que é importantíssimo. Como definimos em casa, vamos para a nossa casa sabendo do resultado. É fazer um grande jogo fora e conseguir a classificação.


ANSIEDADE

Conseguimos fazer isso bem no início do ano, poupando alguns jogadores por conta de indicadores, para não perder ninguém por lesão, não pode correr esse risco. Mas Campeonato Brasileiro não te dá esse luxo de entrar com time todo alternativo. Vamos jogo a jogo, cada jogo é uma final, todas as competições, temos a Copa do Brasil também. Vamos jogo a jogo e tentar levar o Botafogo o máximo dentro de todas as competições.


BRUNO SILVAConverso muito com o Bruno, tem esse potencial de chegar na área, muito forte fisicamente. Cansou no segundo tempo e pediu para sair, é que ele vai para a área toda hora. Então é complicado. Tem que extrair o máximo de todos os jogadores, vejo esse potencial no Bruno. Por vezes eu ainda coloco ele como primeiro volante, quando preciso do resultado, coloco meias nos lugares dos meus médios. Ele tem total liberdade para ser esse homem surpresa, estar na área, faz isso com a gente desde o ano passado. Deixa de ser uma arma surpresa, mas é um jogador importantíssimo dentro do elenco.


Fonte: GE/Por Thiago Pereira, Salvador