sexta-feira, 14 de julho de 2017

Marcos Vinícius encara as câmeras e avisa: “Timidez fica fora de campo”


Destaque na vitória sobre o Fluminense, meia diz estar se adaptando ao clube e revela a importância de ligação de Jair antes de sua contratação: “Na hora, me assustei”




A timidez de Marcos Vinícius em nada lembra a ousadia do jogador em campo. Destaque da vitória do Botafogo sobre o Fluminense, o meia é calado, tem a fala mansa e ainda fica um pouco sem jeito diante das câmaras e da imprensa.


É bom, no entanto, Marcos Vinícius ir se acostumando. Se continuar mostrando o futebol que apresentou no clássico, o assédio será cada vez maior. Até Jair Ventura chamou a atenção do meia para sua timidez. Ele garante, no entanto, que dentro de campo isso não é problema.


- Sou um pouco tímido, mas o grupo é bem zoeiro. Estou me entrosando com os caras. Estou me soltando. O Jair me chamou e disse para eu deixar a timidez fora de campo. Falei: “Fica tranquilo, professor. A timidez fica fora de campo – disse, em coletiva de imprensa nesta sexta-feira.



Marcos Vínicius revelou surpresa com ligação de Jair antes da contratação (Foto: Marcelo Baltar/GloboEsporte.com)


Jair Ventura, aliás, teve papel fundamental na contratação de Marcos. Envolvido na troca de Sassá com o Cruzeiro, o jogador estava desconfiado com o negócio. Uma ligação do treinador, no entanto, mudou o rumo das negociações.


- O Jair me ligou, pediu para eu vir e não me sentir como uma troca. Disse que contava comigo, que o grupo era bom. Isso me deixou muito feliz e me motivou ainda mais para vir para o Botafogo. Na hora, me assustei. Vi um número do Rio no telefone e pensei que fosse imprensa. Primeira vez que isso aconteceu comigo. Foi muito legal.


O objetivo, agora, é retribuir em campo a confiança de Jair e da torcida.


- A confiança vai lá em cima, com uma boa partida no clássico. Eu não sabia que jogaria. Em cima da hora o Jair falou que eu jogaria. Ainda bem que eu estava preparado. Quem sabe vou ter uma sequência agora.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro