domingo, 21 de dezembro de 2014

Alvo do Palmeiras, Gabriel marca reunião com Botafogo para segunda


Representantes discutirão com o Alvinegro a possibilidade de reintegração do volante após ação na Justiça que rompeu contrato



Gabriel desperta interesse do Palmeiras após interromper
 vínculo com o Botafogo (Foto: Fred Huber)
Disposto a não perder uma de suas joias, o Botafogo prepara sua última cartada. Está inicialmente agendada para a tarde desta segunda-feira uma reunião da diretoria com Gabriel, seu empresário e seu advogado. O objetivo é chegar a um acordo para que o volante permaneça no clube, mesmo depois de ele ter conseguido na Justiça a ruptura do contrato por conta de salários e outros pagamentos atrasados. No entanto, o Alvinegro terá de enfrentar a concorrência de outros grandes clubes. O principal deles é o Palmeiras.

Recém-contratado pelo Verdão, Oswaldo de Oliveira foi o treinador que lançou Gabriel nos profissionais do Botafogo, em 2012. O clube paulista é o que está em conversas mais adiantadas com o jogador. Ele, entretanto, vai ouvir a nova diretoria alvinegra, que pretende mantê-lo na próxima temporada.

Na reunião desta segunda-feira, o volante e seus representantes pretendem ouvir do Botafogo o que poderia ser feito para que o jogador reveja a decisão de deixar o clube que o revelou. Em cima dos argumentos a serem apresentados a situação pode mudar.

Ao mesmo tempo, o jogador pretende deixar claro que sua decisão não deve ser interpretada como falta de consideração com o Botafogo, mas como uma maneira de questionar os compromissos não cumpridos pelo clube. De qualquer forma, atualmente o clima entre os envolvidos é de pessimismo em relação a uma possível permanência do atleta em General Severiano.

A saída de Gabriel foi lamentada pelo novo treinador do Botafogo, René Simões. Em sua apresentação, durante esta semana, o comandante ressaltou as qualidades do volante e disse que seria ótimo tê-lo no elenco para a disputa da temporada de 2015. O jogador tinha contrato até 31 de dezembro do ano que vem.

Por Gustavo Rotstein Rio de Janeiro/GE