quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Agora com receitas liberadas, Botafogo vai regularizando pagamentos


Glorioso voltou ao Ato Trabalhista em dezembro, mas demorou algum tempo para que dinheiro caísse nas contas do clube; diretoria tem expectativa de não 'atrasar mais nada'



Diretoria espera pagar salários em dia
(Foto: Vitor Silva / SSPress)
De volta ao Ato Trabalhista em dezembro do ano passado, o Botafogo ainda teve de esperar cerca de um mês para começar a ter as receitas liberadas. Agora, o dinheiro de patrocinadores e de cotas de TV - principal fonte de renda - está novamente em poder do Glorioso. Dessa forma, o clube começou a regularizar os pagamentos de funcionários e jogadores.

A expectativa é de que o clube consiga, neste ano, honrar os compromissos e não mais atrasar os salários, como ocorreu no ano passado, ainda sob a gestão de Mauricio Assumpção.

- Estamos em busca da recuperação da imagem do Botafogo. A expectativa é não atrasar mais nada. Estamos usando 100% do dinheiro para pagar funcionários e atletas - disse ao LANCE!Net.

As receitas, porém, não estão sendo pagas diretamente ao clube. Isto porque há uma pendência na entrada do clube no Refis da Crise.

- O dinheiro das cotas de TV, por exemplo, é depositado numa conta judicial. Depois, o juiz libera - explicou Fleury.

EXPECTATIVA POR AVAL NA ENTRADA NO REFIS

O Botafogo ingressou no Refis da Crise - programa de parcelamento de dívidas com a União - no ano passado, mas ainda há questões burocráticas a serem resolvidas. Neste caso, a Receita Federal faz uma fiscalização, que demora de seis a oito meses. Enquanto isso não for concluído, o dinheiro não pode ir diretamente para as contas do clube e é depositado diretamente numa conta judicial, como é feito atualmente.

Ainda sobre o Refis, o Botafogo espera aval da Advocacia Geral da União e do Ministério da Fazenda. A ideia é que os cerca de R$ 10 milhões do clube que estavam penhorados sejam repassados para o pagamento de parcelas do Refis.

- Acredito que em cerca de 30 dias é possível que haja uma decisão favorável neste sentido. Estamos confiantes porque já houve casos semelhantes, como o do Atlético-MG. Há precedentes neste sentido - lembrou Domingos Fleury, citando a situação do clube mineiro.

Paulo Victor Reis - LANCENET!