segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

René muda formação do Bota e dá chance a Arão, Diego Jardel e Gegê


Técnico abandona esquema com três atacantes, retoma 4-4-2 e promove mudanças. Jobson se recupera e volta a treinar, e presidente assiste a momentos finais do treino


Após o primeiro teste do ano, hora de testar mudanças no Botafogo. A segunda-feira que começou com intenso trabalho físico terminou com nova formação no Cetaf, em Várzea das Moças, Niterói (RJ): saiu o 4-3-3 que enfrentou o Gonçalense em jogo-treino no sábado e voltou o tradicional 4-4-2. E o meio de campo foi o setor que mais sofreu alterações: além da troca do atacante Sassá pelo meia Gegê, Willian Arão e Diego Jardel substituíram Airton e Elvis, respectivamente. O time treinou com Jefferson, Gilberto, Alisson, Roger, Carletto, Mattos, Arão, Gegê, Diego Jardel, Pimpão e Bill.

René Simões conversa com novos titulares antes do treino tático desta segunda-feira (Foto: Vitor Silva / SSPress)
Sempre falando muito em campo, o técnico René Simões utilizou a nova escalação num trabalho tático ofensivo, onde os titulares deveriam se movimentar e criar jogadas contra a marcação dos zagueiros reservas Giaretta e Renan Fonseca. Na parte final da atividade, a dupla de defesa foi chamada pelo comandante, que substituiu quase todos os jogadores. Mantendo o 4-4-2, entraram também Jean, Airton, Fernandes, Jobson e Sassá, que ganhou elogios do treinador após uma arranca do meio de campo.

- Maravilha, garoto! - gritou René.

Carlos Eduardo Pereira chegou no fim do dia e viu
últimos minutos do treino (Foto: Vitor Silva / SSPress)
Após deixar o treino da manhã com dores na coxa esquerda, o atacante se recuperou a tempo de participar normalmente do trabalho da tarde. As ausências da atividade foram Cidinho, Andreazzi e Andrey, machucados, além de Régis, liberado para resolver problemas particulares.

O clima foi de descontração. A derrota por 1 a 0 para o Gonçalense não prejudicou em nada o ambiente, e os jogadores se divertiram durante o aquecimento e brincaram com membros da comissão que se atrasarem por alguns segundo. Como punição, eles tiveram que fazer flexões em campo, método que René costuma usar para punir atletas por atrasos ou erros nos treinos. O presidente Carlos Eduardo Pereira chegou ao Cetaf já no final do dia e acompanhou os últimos momentos dos trabalhos. O mandatário já havia aparecido no local no jogo-treino de sábado.

Por Marcelo Baltar Niterói, RJ/GE