domingo, 15 de fevereiro de 2015

No dia do aniversário, Jobson quer dar seu talento de presente ao Botafogo



Atacante, que completa 27 anos neste domingo, chega à marca de 50 partidas pelo Botafogo contra o Friburguense e lembra que não faltou apoio em fases mais difíceis





Jobson chega aos 27 anos em busca da estabilidade com a
camisa do Botafogo (Foto: Satiro Sodré / SSPress)
Jobson assinou contrato com o Botafogo em junho de 2010. Mas, quase cinco anos depois, o atacante está perto de completar apenas sua partida de número 50 com a camisa alvinegra. Neste período, ele teve idas, vindas, altos e baixos. Neste domingo, dia em que completa 27 anos, vive mais um momento que dá ao clube a esperança de finalmente conseguir usufruir de todo o seu potencial, faltando cerca de quatro meses para o fim do vínculo.

Quando entrar em campo nesta quarta-feira, contra o Friburguense, Jobson terá alguns objetivos em mente. Além da celebração pelo aniversário e por chegar aos 50 jogos pelo Botafogo (são 12 gols marcados), o atacante tentará dar mais uma prova de que merece uma nova chance e que pode convencer comissão técnica, diretoria e torcida de que é capaz de mostrar no campo o que sempre todos esperaram.

Motivação não falta. Durante a pré-temporada, Jobson deixou de ser uma das últimas para tornar-se uma das primeiras opções de ataque do Botafogo. Por conta desse desempenho, substituiu Rodrigo Pimpão, machucado, no primeiro tempo da partida contra o Bangu, na última quarta-feira, e foi um dos destaques da vitória por 3 a 0. Com o titular ainda entregue ao departamento, ele terá a sonhada sequência para tentar contrariar a maior parte das expectativas.

- Agora que o Jobson está bem, com certeza tem muita gente esperando os problemas causados por um possível deslumbramento. Todos nós falamos aqui com ele que é exatamente nesse momento que ele precisa mostrar que mudou - afirmou um funcionário do Botafogo que convive diariamente com o atacante.

Depois de desempenhos pouco empolgantes quando foi reintegrado ao elenco em setembro do ano passado - incluindo a perda de um pênalti na derrota para o Figueirense -, Jobson voltou a experimentar o carinho dos torcedores. E, no dia de seu aniversário, seu desejo é um presente do qual eles também possam desfrutar.

- Meu melhor presente vai ser trazer alegria de volta aos torcedores do Botafogo, que nunca deixaram de me apoiar, mesmo nos meus momentos mais difíceis, principalmente as crianças. Vou continuar fazendo o máximo para manter essa pegada e, quem sabe, comemorar essas marcas importantes com uma boa atuação contra o Friburguense - disse Jobson.

O bom momento tem despertado a atenção de empresários, que entraram em contrato com o próprio jogador com sondagens para possíveis transferências. Mas Jobson tem procurado ficar fora da situação, deixando o caso para Rodolpho Cezar, seu advogado e representante - já que não tem empresário -, que já reforçou que a prioridade será ouvir o Botafogo no momento de negociar uma possível renovação do contrato que vence dia 24 de junho.

Por Gustavo Rotstein Rio de Janeiro/GE