quinta-feira, 12 de março de 2015

Um mês, seis jogos, cinco gols: Jobson brilha e se firma no Botafogo




Após começar temporada em baixa, atacante aproveita chances desde lesão de Rodrigo Pimpão, vira artilheiro do time e força direção a debater renovação contratual






Embora tenha marcado o gol do Botafogo, Jobson dividiu a torcida entre vaias e aplausos ao deixar o campo na derrota por 3 a 1 para o Fluminense, no último domingo, no Maracanã: errou um passe que deu origem ao segundo gol tricolor. Na Nilton Santos, a casa alvinegra, na última quarta-feira, porém, o atacante foi absoluto. Balançou a rede em três oportunidades, sendo que somente uma delas foi validada pelo árbitro. O suficiente para que chegasse à artilharia do time na temporada, com cinco gols.


Realidade esta que parecia improvável, tendo em vista o cenário desenhado no início de 2015. Jobson chegou para a pré-temporada como a quarta opção de ataque, mas, depois de se destacar nos treinos, aproveitou as oportunidades desde a lesão muscular de Rodrigo Pimpão - completou mês machucado na última quarta. Neste período, Jobson disputou seis jogos e marcou cinco gols.

A dedicação extrema nos jogos vem resultando em esgotamento físico. Jobson foi poupado do treino da última terça-feira por causa de cansaço e acusou esgotamento já no segundo tempo da partida contra o Tigres, mas a lesão muscular de Fernandes impediu que o técnico René Simões o substituísse mais uma vez. O treinador ressaltou a dedicação do atacante em campo e lembrou que há muito tempo o camisa 7 não tinha uma sequência de partidas.

3 para 1: Jobson marcou trinca de gol, mas apenas o último valeu contra o Tigres (Foto: Vitor Silva / SSpress)
- Ele tem trabalhado como todos os outros. Cobro dele, e o grupo também. Está jogando bem. Contra o Tigres, por duas vezes foi roubar bola na nossa área, isso é muito legal. Que continue fazendo gols. Acho que o gol deu felicidade e, por isso, conseguiu terminar o jogo. Por duas vezes ele me disse que estava com a perna pesada, então eu disse para ele não dar pique. Eu ia substituir o Jobson, mas o Fernandes caiu antes dele. O Jobson se dedicou muito no primeiro tempo. Devemos lembrar que o Jobson não faz 10 jogos seguidos há quatro anos, então é difícil o organismo se adaptar a esse ritmo. Mas hoje ele foi muito bem - disse o técnico após a partida.

Também ao longo dos últimos 30 dias, Jobson vem sendo motivo de discussão interna do Botafogo em relação à possível renovação do contrato que termina em 24 de junho. Há pouco mais de uma semana seu advogado e representante teve a primeira reunião com a diretoria alvinegra, mas sem que houvesse acordo. O atleta permanece em compasso de espera, mas ainda não está agendado um novo encontro para tratar do futuro do atacante.

Mas embora os números apontem para um Jobson firme na posição de titular, René Simões prefere desconversar quando perguntado como será a partir do retorno de Rodrigo Pimpão, que pode estar novamente à disposição para o jogo contra Resende ou Cabofriense.

- Quando me dão um presente eu fico feliz. A volta do Pimpão não é preocupação, é solução. Quando ele voltar vai ser muito bom, e eu vou ver o que fazer - afirmou o treinador.

Por Gustavo Rotstein Rio de Janeiro/GE