domingo, 29 de março de 2015

Vasco e Botafogo ficam no empate e esquentam briga pelo G-4 do Carioca


Clubes ficam no 1 a 1 e empatam com o Madureira com 30 pontos, restando duas rodadas para o final da Taça Guanabara. Alvinegro perde liderança para o Flamengo



A briga pelo G-4 do Campeonato Carioca esquentou na reta final da Taça Guanabara. Restando duas rodadas para definir os classificados para a semifinal do estadual, Vasco e Botafogo não passaram de um empate por 1 a 1 na tarde deste domingo, no Maracanã, gols de Gilberto e Roger Carvalho. O Alvinegro perdeu a liderança para o Flamengo, e junto com o Cruz-Maltino ficou igualado com o Madureira com 30 pontos na tabela. A diferença para o Fluminense, o primeiro fora da zona de classificação, ainda pode cair de cinco para dois pontos, caso o Tricolor ganhe a partida que tem contra o Barra mansa, ainda neste final de semana, no Moacyrzão, em Macaé. Panorama que justifica as vaias ouvidas no estádio ao fim do clássico, que teve público de 21.655 pagantes (25.047 presentes) e renda de R$ 694.520,00.

Jhon Cley e Giaretta disputam jogada em um clássico igual no Maracanã (Foto: Mauricio Val/Vipcomm)

O resultado foi ruim para os dois lados, que terminam a rodada empatados. O Botafogo perdeu a liderança, enquanto o Vasco caiu para quarto lugar e viu o Madureira passar à frente com dois gols a mais de saldo. Na próxima rodada, a penúltima da Taça Guanabara, o Alvinegro terá pela frente o Madureira, concorrente direto pelo G-4, no outro domingo, no estádio Nilton Santos, como o clube rebatizou o Engenhão. No mesmo dia, o Cruz-Maltino visitará o Friburguense, ainda sem local e horário definidos.

Enquanto o Vasco ainda acordava para o jogo, o Botafogo vacilou três vezes: Gilberto se enrolou para dominar uma bola livre na área; Gegê errou o passe num contra-ataque três contra dois; e Jobson, do lado da trave, passou da bola no rebote de Jordi. E quem não faz... Quem completa a frase é Gilberto, sempre ele. Recebeu um bolão de Madson, ganhou de Roger Carvalho na corrida e tocou na saída de Renan para abrir o placar. Mas o Cruz-Maltino não soube explorar os contra-ataques no tempo em que esteve em vantagem. E a segunda melhor defesa do campeonato permitiu a Roger Carvalho se redimir na etapa final, contando com o mal posicionamento do goleiro vascaíno e a bobeada de Guiñazu, que saio da trajetória da bola na cabeçada do defensor. Não passou disso, para revolta das torcidas, que vaiaram no fim.

Por GloboEsporte.comRio de Janeiro/GE