quinta-feira, 28 de maio de 2015

Jefferson garante Seleção blindada contra os escândalo da Fifa e CBF


Goleiro do Botafogo diz que objetivo dos jogadores é dar alegria à torcida e voltar suas atenções somente para dentro do campo




Ainda sob os efeitos do escândalo que atingiu a Fifa e a CBF, a seleção brasileira vai se apresentar na próxima segunda-feira para dar início aos treinos visando à Copa América. Além do aprimoramento técnico e tático, os jogadores terão a tarefa de evitar que a crise política que explodiu essa semana, envolvendo dirigentes da Fifa e da própria CBF, chegue ao gramado. Titular da equipe comandada por Dunga, o goleiro Jefferson garantiu que o ambiente conturbado não vai atingir a Granja Comary.

- Nós jogadores queremos um futebol melhor, sem corrupção. Mas sempre dissemos que, na Seleção, o objetivo é jogar bola, representar uma nação e milhares de torcedores. O que temos que fazer é dar alegria a todas essas pessoas. O que pudermos fazer dentro de campo para minimizar, vamos fazer - disse.

Goleiro Jefferson afirma que jogadores deixaram polêmicas da CBF fora de campo (Foto: Gustavo Rotstein)
Jefferson evitou se debruçar sobre a operação deflagrada pelas autoridades dos Estados Unidos, que teve como uma das consequências a prisão do ex-presidente da CBF, José Maria Marin. No entanto, o goleiro da seleção brasileira afirmou estar na expectativa para que o esporte seja o grande beneficiado deste episódio.

- Não estou muito a par, até porque os jogadores estão fora dessa polêmica. Queremos que não haja corrupção no futebol, sempre zelamos por um futebol honesto, mas nós jogadores deixamos essa situação para as autoridades e procuramos não nos intrometer. Nunca esperamos que um escândalo como esse vá acontecer.

O goleiro mostrou confiança numa boa campanha do Brasil na Copa América, que será realizada no Chile, mas admitiu que nem mesmo o título seria suficiente para fazer o país esquecer o vexame da seleção brasileira na última Copa do Mundo, com derrota por 7 a 1 para a Alemanha na semifinal.

- Para ser sincero, nada vai fazer as pessoas esquecerem o que aconteceu na Copa. Também não queremos ficar relembrando e remoendo. Fizemos o que tínhamos fazer naquela situação. Agora são novos jogadores, uma nova comissão técnica, e tenho certeza de que vamos fazer uma ótima Copa América - observou o camisa 1 da Seleção.

Por Gustavo Rotstein Rio de Janeiro/GE