quinta-feira, 14 de maio de 2015

Por Nilton Santos, Carleto pede festa fora de campo e vitória sobre o CRB


Lateral-esquerdo destaca importância do primeiro jogo dentro de casa na Série B, justamente no dia em que o ídolo comemoraria 90 anos: “A festa tem que ser linda”




Carleto posa ao lado da Taça Guanabara, conquistada antes das
 semifinais do Carioca (Foto: Igor Rodrigues/GloboEsporte.com)
Desde o dia em que foi apresentado como novo lateral-esquerdo do Botafogo, Thiago Carleto faz questão de demonstrar o respeito e admiração pela história de Nilton Santos no clube do Rio de Janeiro. No sábado, dia 16 de maio, quando a equipe enfrenta o CRB, às 16h30, o ídolo comemoraria 90 anos, fato que mexe ainda mais com o jogador, que destaca a intensidade da curta passagem pelo Alvinegro. E ele convoca os torcedores para fazerem uma grande festa no estádio que carrega o nome da Enciclopédia do Futebol.

- Estou empolgado, mas sei conter a ansiedade de chegar no Botafogo, sem conhecer nada, e ter a responsabilidade de vestir a camisa do maior ídolo do clube. Já logo ter a oportunidade de reabrir um estádio com o nome dele e ainda comemorar o aniversário do Nilton no dia de um jogo. É muita coisa ao mesmo tempo. Mas estou maduro, a festa tem que ser linda, estamos pedindo para que o torcedor compareça.

Mesmo com a vontade de festejar em nome do ídolo, Carleto alerta para a importância da partida válida pela segunda rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

- Ídolo nunca morre, tem que ser eternizado, sempre lembrado. Eu quero prestar essa homenagem depois do jogo, homenagem maior é chegar dentro de campo, jogar, mostrar vontade e ganhar. Depois do jogo, para ele, qualquer homenagem é pouca. O torcedor tem que fazer a festa, merece isso, e ele lá em cima também. Vamos lutar para sair com a vitória.

Para a festa ficar completa, o lateral-esquerdo torce por uma falta na entrada da área para repetir o feito contra o Bonsucesso, no dia 7 de fevereiro, data da reabertura do Estádio Nilton Santos – até então Olímpico João Havelange -, quando balançou a rede na vitória por 4 a 0, pela terceira rodada do Carioca.

- No dia que reabriu o estádio (Nilton Santos) eu fiz. Quem sabe? Se os meias ou atacantes sofrerem faltam lá na frente, pode sair uma bomba de 130 (km/h) de novo. Claro que eu vou buscar sempre o gol, sou um lateral que preciso estar ali. Mas o mais importante vai ser a nossa equipe sair com a vitória, porque a caminhada é longa. Eu tenho certeza que o Nilton Santos está muito feliz com que os jogadores estão fazendo no Botafogo, mas vai ficar ainda mais se em novembro nós colocarmos o time novamente na Série A, lugar de onde nunca devia ter saído.


Por Igor Rodrigues*Rio de Janeiro/GE
*Estagiário, sob supervisão de Fred Gomes