sexta-feira, 15 de maio de 2015

René ensaia mudanças, e Daniel Carvalho e Sassá pedem passagem


Meia e atacante participam de treino entre os titulares e podem ganhar oportunidade em jogo deste sábado



Depois de três coletivos e algumas broncas em campo ao longo da semana, René Simões decretou que o Botafogo terá mudanças na escalação para o jogo contra o CRB. A julgar pelo treinamento realizado na manhã desta sexta-feira, Daniel Carvalho e Sassá serão os substitutos de Fernandes e Diego Jardel, respectivamente, em relação à equipe que venceu por 1 a 0 o Paysandu, na primeira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

René Simões comandou nesta sexta um treino de posicionamento da equipe em jogadas de bola parada, no qual Daniel Carvalho e Sassá estiveram posicionados com os demais titulares. A dupla entrou no segundo tempo contra o Paysandu e fez o Botafogo subir de produção, marcando o gol da vitória. Ao longo da última semana, meia e atacante foram testados na equipe principal. No entanto, o treinador não confirmou quais serão as alterações.

Time do Botafogo pode ter mudanças contra o CRB (Foto: Gustavo Rotstein / GloboEsporte.com)

- Provavelmente vou fazer modificações, pela evolução de alguns jogadores. Atleta conquista vaga dentro de campo, nos treinamentos. Esta semana foi de treinos fortíssimos. Fiz três coletivos, o que raramente acontece, porque estão chegando jogadores com muita qualidade e dando dinâmica às atividades - explicou.

Um dos destaques dos treinamentos tem sido Daniel Carvalho. Primeira contratação do Botafogo para o Brasileiro, o meia de 32 anos superou as expectativas iniciais, que apontavam um maior número de partidas para que entrasse no ritmo e pudesse iniciar uma partida. René Simões não confirmou a escalação, mas admitiu que o jogador está pedindo passagem.

- Fico muito feliz por ele ter acertado com o Botafogo. O Daniel veio com esse objetivo de treinar e recomeçar a carreira. Mas se um atleta chega a esse nível financeiro e de fama sem nada para impulsionar, vira mais um. Ele é um membro do grupo que contribui, fala e dentro de campo dá dinâmica. No quarto jogo dele acho que já está preparado para atuar 45 minutos. Tinha pensado que poderiam ser sete ou 10 - destacou o treinador.

Por Gustavo Rotstein Rio de Janeiro/GE