quarta-feira, 3 de junho de 2015

Após gol heroico, Rodrigo Pimpão parte para o abraço da família


Atacante do Botafogo recebe carinho dos pais e do irmão no Estádio Durival Britto, onde iniciou no futebol, depois de dar a vitória ao Botafogo sobre o Paraná



A torcida do Paraná Clube era a maioria na fria noite da última terça-feira, em Curitiba. Mas ali nas cadeiras do Estádio Durival Britto estavam quatro pessoas que tiveram o efeito de uma multidão na tarefa de fazer Rodrigo Pimpão não desistir. Nem mesmo aos 47 minutos do segundo tempo, quando um chute que aparentemente não pegou em cheio parar no fundo da rede e dar ao Botafogo a vitória por 2 a 1 sobre o Paraná Clube, pela Série B do Campeonato Brasileiro.

Rodrigo Pimpão com a família após vitória contra o Paraná (Foto: Gustavo Rotstein / GloboEsporte.com)


Então, a noite tornou-se ainda mais especial quando Rodrigo Pimpão pôde, ainda no estádio onde começou a jogar futebol, celebrar o gol com seus familiares, todos de Curitiba. Estavam lá o pai Ivan, a mãe Seleni, o irmão Gustavo e o primo Edson, que esperaram o atacante na porta do vestiário para dar a ele o calor que faltou durante os 90 minutos jogando com uma temperatura de 12 graus na capital paranaense.

- Viu o chute, mãe? A bola foi devagarinho e entrou - disse Pimpão logo após receber o beijo, quase que revivendo um diálogo fácil de imaginar quando, ainda adolescente, ele atuava no futsal do Paraná Clube.

- Ele gosta de fazer gol depois dos 40 minutos - brincou Seleni. (Veja abaixo o gol de Pimpão)



Abraçado pelo irmão Gustavo, que seguiu a carreira de dentista que Rodrigo abandonou para tornar-se jogador de futebol, o atacante logo entregou ao pai a camisa 7 com que fez o gol da vitória do Botafogo e com a qual enxugou algumas lágrimas ainda no gramado, lembrando o início de sua carreira no clube.

- É uma emoção para guardar, porque a Vila Capanema me trouxe muita felicidade e continua a me trazer, mesmo agora eu vestindo outras cores. E a família quando vem, motiva. Então esse gol é para os meus familiares e para a torcida do Botafogo - disse Pimpão.

Por Gustavo RotsteinCuritiba, PR/GE