domingo, 28 de junho de 2015

Carta na manga, Daniel Carvalho comanda quase reação e é elogiado


Cada vez melhor fisicamente, meia de 32 anos melhora o Botafogo na derrota para o Macaé e marca seu segundo gol. “Tem muito talento”, se rende René Simões



Se o Botafogo conseguisse arrancar um empate ou, na melhor das hipóteses, virasse o placar para cima do Macaé neste último sábado, os créditos certamente teriam que ser depositados na conta de Daniel Carvalho. Cada vez mais inteiro fisicamente, o experiente jogador emprestou uma parcela inegável de talento ao meio de campo, marcou um gol e comandou uma quase reação do Glorioso no Estádio Moacyrzão – o time alvianil acabou marcando o quarto no fim de jogo e fechando o resultado em 4 a 2. No entanto, ao menos na visão do técnico René Simões, nada disso apagou a boa atuação de sua carta na manga.





Aos 32 anos, Daniel tem sido um trunfo de Renê acionado sempre que o Botafogo está em apuros. Como estava há quase dois anos afastado do futebol, ele ainda não tem condições de atuar 90 minutos, mas tem entrado com frequência no decorrer das partidas. O primeiro gol contra o Macaé, por exemplo, foi inteiramente dele, que arriscou a jogada individual e bateu com a perna direita no canto. No segundo, Daniel levantou a bola na área para o gol de Roger Carvalho.


Daniel Carvalho encara a marcação durante duelo contra o Macaé (Foto: Vitor Silva / SSPress)

- (O Daniel) é um jogador que eu acredito muito, tanto que eu tive o cuidado de mandar uma mensagem à torcida do Botafogo, porque tinha alguém falando que ele era “chinelinho”. Nada disso, ele está todo tempo treinando. Nós precisamos segurar o jogador, que é diferenciado, mas vinha de um histórico agora de ficar parado muito tempo. Ele sentiu um desconforto, por isso temos que tomar cuidado. Mas, naquele momento, não tinha mais nada o que ser feito, tinha que botar ele, que tem muito talento. Se estivesse ganhando, eu não colocaria ele, ia segurar para sexta. Botei dois jogadores experientes, ele e o Lulinha, mas, infelizmente, não foi o suficiente – lamenta o comandante.

Como se não bastasse a postura dentro de campo, Daniel Carvalho também não se escondeu após a primeira derrota na Série B do Brasileiro e assumiu a bronca no caminho para o vestiário. Segundo ele, o resultado “foi uma grande vergonha”.

- Não se pode tomar três gols primeiro tempo. Deixamos a desejar, foi vergonhoso. Mas não podemos achar que, por causa de uma derrota, está tudo errado. Ainda estamos na liderança – declarou o meia.

O próximo compromisso do Botafogo no Brasileiro é na sexta-feira, contra o Sampaio Corrêa, no Engenhão, às 21h50.

Por Chandy Teixeira e Tébaro Schmidt Macaé, RJ/GE