sexta-feira, 5 de junho de 2015

Escola René Simões: notas altas, meta de passes e atenção com o apito


Como um professor, treinador do Bota avalia atuações individuais e coletiva do grupo, estabelece número ideal para dominar partida e fala sobre métodos da arbitragem




Para uma boa escola é preciso bons professores, que cobram dos estudantes, estabelecem metas e avaliam seus desempenhos durante o ano. No comando do Botafogo, René Simões assume o papel de professor. Atento aos mínimos detalhes de cada aluno do elenco, é responsável por orientar a equipe antes de cada confronto e avaliar as atuações.

Por ora, os jogadores do Alvinegro, líder e invicto na Série B do Brasileiro, até estariam passando de ano com René. Mas René é rigoroso na avaliação coletiva. Mesmo com a vitória diante do Paraná, a nota do grupo caiu em relação aos jogos anteriores.

- Temos detalhes individuais, vão dizer que é escolinha, mas tudo bem (risos). As notas individuais dos jogadores têm subido, mas a nota coletiva caiu um pouco nesse jogo. O desempenho do time caiu um pouco, mas não tanto por causa do gol no final, o que mostra que é uma equipe que não desiste nunca - avaliou.

Professor René e seus alunos: orientação para notas altas nos treinos do Botafogo (Foto: Vitor Silva / SSPress)
Para dar nota máxima à turma, René Simões espera um maior número de passes no decorrer dos jogos. O ideal, na concepção do comandante, são 600 toques na bola durante os 90 minutos.

- Enquanto a minha equipe não chegar a 600 passes no jogo, vou dizer que não chegou no ideal. Chegar nesse número nessa divisão temos que estar jogando muito, porque é difícil, a pegada é muito forte, mas quero chegar lá. Chegamos a 428 contra o CRB, mas não vai ser fácil. O número de gols continua alto, fazendo em todos os jogos, o que é muito bom. Estamos com a segunda defesa menos vazada, ataque mais positivo, estamos no caminho - disse.

As notas individuais dos jogadores têm subido, mas a nota coletiva caiu um pouco nesse jogo".
René Simões

Para que não continue perdendo jogadores por causa do excesso de cartões, a aula desta quinta-feira foi especificamente sobre os métodos adotados pela arbitragem. William Arão foi expulso contra o Paraná por reclamação, mesmo motivo do amarelo recebido pelo goleiro Renan. René fez questão de destacar que o propósito dos árbitros é correto, mas alertou os donos do apito para o aspecto disciplinar do jogo com relação aos lances mais intensos.

- Nós tivemos os instrutores da Federação do Rio de Janeiro trabalhando com a gente essa questão de arbitragem. Sou totalmente favorável, principalmente ao tempo de bola. O Gilberto teve uma jogada que era dele, mas se jogou em cima da bola e o árbitro deu falta. Maravilha, isso é um hábito do jogador brasileiro, simula quando está sem uma jogada. Sou favorável a que se puna quando tem as reclamações, mas eu acho que a parte técnica não se pode esquecer. O que vimos foram jogadas violentas de ambas as partes que não foram punidas. É isso que a gente pede que tomem cuidado - falou.

A próxima prova do Botafogo é diante do Mogi Mirim, nesta sexta-feira, às 21h50 (de Brasília), no Estádio Nilton Santos, pela 6ª rodada da Série B do Brasileirão.


Por Igor Rodrigues*Rio de Janeiro*Estagiário, sob supervisão de Jessica Mello.