domingo, 5 de julho de 2015

Botafogo se movimenta para estender contrato de joia e reunião deve ocorrer durante a semana


Ideia é propor aumento de salário e da multa rescisória - atualmente de quatro milhões de euros (quase R$ 14 milhões) para clubes do Brasil e o dobro para equipes do exterior



Atacante brilhou na sexta-feira, contra o Sampaio
 Corrêa (foto:Paulo Sergio)
A estreia especial de Luis Henrique nos profissionais, com dois gols na goleada do Botafogo sobre o Sampaio Corrêa por 5 a 0, acelerará a busca do clube por um novo acordo com o jovem de 17 anos. Se antes a diretoria pensava com calma sobre uma extensão do contrato – o atual termina no dia 2 de maio de 2017 – agora ela já formula uma proposta para aumentar a multa rescisória e oferecer um salário de profissional ao jogador, pensando em frear o assédio a ele.

Atualmente, para tirar Luis Henrique do Bota, um clube do Brasil deve depositar cerca de quatro milhões de euros (quase R$ 14 milhões) na conta do Glorioso, que detém 90% dos direitos econômicos do garoto. Os outros 10% são do próprio jogador. Para clubes do exterior, a multa é o dobro – perto de oito milhões de euros (quase R$ 28 milhões).

Uma reunião deve ocorrer nesta semana entre a diretoria do Glorioso, o empresário Jolden Vergette e Tanara Farinhas, mãe do garoto, para tratar do assunto.

A ideia é não vê-lo deixar o clube facilmente a exemplo de Vitinho, última grande revelação ofensiva do Alvinegro, que saiu em 2013 após o CSKA (RUS) depositar o valor da multa – 10 milhões de euros (cerca de R$ 31 milhões, na época).

O presidente Carlos Eduardo Pereira confirmou a intenção de sentar com os representantes do jogador para conversar.

– Pensamos nisso, com certeza. Vamos sentar com a mãe dele para conversar. Agora ele já está em outra realidade e integrado aos profissionais. Trocou de patamar. A ideia é que ele permaneça no Botafogo por mais tempo e que possa desenvolver a carreira aqui, para ele e o Botafogo crescerem juntos – afirmou o mandatário alvinegro.

COM A PALAVRA, TANARA FARINHAS, MÃE DE LUIS HENRIQUE

"Puxo ele ao foco, sem subir à cabeça"

"Botei ele numa escolinha quando vim para o Rio, quando ele tinha 12 anos. Levaram ele para o CFZ e depois para o Flamengo. No ano passado veio para o Botafogo e aqui está dando certo.

Ele não esteve sempre em alta. Foi dispensado do Flamengo quando tinha 15 anos e, na época, falei para ele ter calma, que iríamos buscar um novo clube para ele. Acho que valeu de aprendizado, ele aprendeu muito no Flamengo.

Sempre acreditei no potencial dele. Ele vê o exemplo dentro de casa, na mãe e na irmã. Temos sempre que dar o exemplo, puxo ele de volta ao foco, sem deixar subir à cabeça. Já chorei bastante, mas agora tenho que segurar, tudo é exemplo para ele. Ele tem muito pela frente, está sendo um ano excelente e maravilhoso. Só tenho a agradecer ao Botafogo e ao técnico René Simões."


Luiz Gustavo Moreira - LANCENET!