sábado, 4 de julho de 2015

Atacante Jobson é detido no Pará por dirigir embriagado e resistir à prisão


Jogador passa duas noites em delegacia e paga fiança de dois salários mínimos. Segundo delegado, ele fugiu de policiais no interior do Pará




Jobson, ex-Botafogo, é preso em Conceição do
Araguaia, no Pará (Foto: Gustavo Rotstein)
Jobson, ex-atacante do Botafogo, foi detido em Conceição do Araguaia, sua cidade de nascimento, no sul do Pará, na madrugada de sexta-feira, por dirigir seu veículo embriagado - seguido de resistência à prisão e desacato. De acordo com o delegado Pedro Henrique Cunha de Andrade, da polícia civil do município, o jogador foi liberado neste sábado, por volta das 14h. Passou, portanto, duas noites preso - de quinta para sexta e de sexta para sábado.

De acordo com a Polícia, o atleta fugiu ao ser abordado por policiais. Ele tentou se esconder dentro de casa, onde ocorreu a prisão, segundo o delegado. Estava sob efeito de álcool.

- Segundo os policiais militares que efetuaram a prisão, ele fugiu pela cidade. Deram voz de ele parar mais de uma vez, mas ele continuou indo em direção à casa dele. Quando desceu do carro, foi para dentro de casa, e a família tentou protegê-lo, fazer com que ele não fosse preso. Um policial teve a mão cortada, e o Jobson também teve pequenas escoriações - relatou Andrade.

Jobson ganhou liberdade depois de pagar dois salários mínimos de fiança. Por ter resistido à prisão, ele teve que ser algemado. Chegou à delegacia assim. Agora, serão feitos os procedimentos legais para que ele vá a julgamento pelos delitos cometidos. Enquanto isso, seguirá em liberdade.

A Polícia local diz que tentou proteger Jobson, evitando sua exposição pública, já que ele é uma figura muito conhecida na cidade - por sua fama como jogador. Mesmo assim, imagens dele, vestindo apenas uma bermuda, com os braços para trás, circularam pela internet. Surgiram rumores de que ele teria sido preso por envolvimento com drogas. Mas os boatos não se confirmaram.

Jobson está suspenso do futebol por quatro anos. Ele se recusou a fazer um exame antidoping no dia 25 de março de 2014, quando jogava no Al-Ittihad, da Arábia Saudita. Inicialmente, houve uma dúvida sobre a punição ser válida apenas no país ou ter efeito internacional. A Fifa acabou confirmando que a validade era mundial.

Com isso, ele foi proibido até de frequentar as dependências do Botafogo. Não podia treinar. O clube tentou fazer com que ele pudesse ir ao vestiário na final do Campeonato Carioca, mas não conseguiu liberação.

Por Alexandre Alliatti e Daniel Mundim Conceição do Araguaia, PA/GE