segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Preservar e evoluir: Luís Henrique pode disputar alguns jogos da base


Preocupada com formação de joia de 17 anos, comissão técnica estuda dar rodagem ao atacante enquanto ainda ele busca seu espaço entre os profissionais






Num momento em que o time titular se desmantelava, Luís Henrique foi promovido aos profissionais. Mesmo aos 17 anos, pesou sobre ele a expectativa de fazer o Botafogo reagir na Série B. Mas desde então muita coisa mudou no clube: o treinador foi trocado, a equipe voltou a colecionar bons resultados e, consequentemente, o planejamento para o xodó alvinegro foi alterado. A ordem é preservar o atacante, minimizar sua pressão e dar a ele mais rodagem, nem que para isso seja preciso voltar a disputar algumas partidas nas categorias de base.


O fato de Luís Henrique não ter sido relacionado para o jogo contra o Vitória, em Salvador, no último sábado, faz parte deste planejamento. Após a vitória por 2 a 1, o técnico Ricardo Gomes deixou clara sua preocupação com o fato de uma grande promessa não ter a chance de se desenvolver da melhor maneira pelo fato de frequentemente jogar, no máximo, alguns minutos das partidas dos profissionais. Ele disputou 11 jogos (marcou três gols), sendo que apenas quatro completos. 

Luís Henrique em treino do Botafogo: atacante de 17 anos é acompanhado por comissão técnica enquanto busca seu espaço entre os profissionais (Foto: Vitor Silva/SSPress)

Por isso, a comissão técnica do Botafogo mostra-se aberta à possibilidade de, eventualmente, deslocar Luís Henrique para partidas das categorias de base. Não se trata de algo definitivo. A ordem é observar o momento do jogador e, caso seja julgado pertinente, dar a ele maior ritmo de jogo, fazendo com que atue com atletas mais próximos de sua idade. No entanto, não há qualquer programação formal relativa ao assunto.


Após a partida contra o Vitória, Ricardo Gomes justificou a ausência de Luís Henrique explicando sua preocupação em fazer com que o atacante seja preparado da melhor maneira possível para corresponder à expectativa desde que foi promovido aos profissionais, há apenas dois meses.

Tem 17 anos e está em formação. A torcida gosta dele e eu também, mas está em formação e não pode ficar no banco o campeonato todo
Ricardo Gomes


- Gosto muito dele, mas é um garoto de 17 anos. Olha o nosso calendário: fica no banco, viaja, trabalha pouco e fica no banco de novo. Isso tem um tempo limite e já passou. Na sexta-feira falei com ele em relação a isso. Tem 17 anos e está em formação. A torcida gosta dele e eu também, mas está em formação e não pode ficar no banco o campeonato todo, porque vai ser mais fraco em 2016. Temos que pensar no Luís Henrique. Acho que ele ainda vai dar a resposta que a torcida espera, mas tem que ser com cuidado. Uma coisa é lançar um jogador de defesa de 17 anos, outra é lançar alguém que tem a responsabilidade de fazer a diferença na frente. Se ele estiver em forma, mas o tempo inteiro no banco, não vai resolver - afirmou o técnico.


De qualquer maneira, o Botafogo deve em breve perder Luís Henrique em alguns jogos na reta final da Série B. Isso porque o atacante é nome forte para integrar a lista de convocados da seleção brasileira que vai disputar o Mundial Sub-17, no Chile, de 17 outubro a 8 de novembro. Caso isso ocorra, ele pode desfalcar o Alvinegro em pelo menos cinco rodadas do Brasileiro.


Luís Henrique estreou nos profissionais do Botafogo marcando dois gols na vitória por 5 a 0 sobre o Sampaio Corrêa. No entanto, o atacante não conseguiu se firmar entre os titulares e perdeu a vaga para o uruguaio Navarro. No último sábado, Sassá, outro concorrente à camisa 9, marcou o gol da vitória sobre o Vitória, em Salvador.


Por Gustavo RotsteinRio de Janeiro/GE