terça-feira, 27 de outubro de 2015

Malabarista: Sassá se equilibra, vira goleador e recupera brilho no Bota


Artilheiro do time no ano, atacante põe pulga atrás da orelha de Ricardo Gomes. Diretoria já o procurou para tratar de renovação




Sassá com a bola do jogo do último sábado, quando fez três
 gols no Náutico (Foto: Richard Souza / GloboEsporte.com)
Lá se vão seis anos de um sobe e desce sem fim. De quando chegou ao Botafogo, aos 15, até agora, aos 21,Sassá viveu um pouco de tudo. Atraiu olhares depois de fazer gols aos montes na base alvinegra, marcou o primeiro gol como profissional no primeiro clássico que disputou, contra o Flamengo, no fim de 2012, mas também tem o peso de dois empréstimos e um afastamento nas costas.


- A carreira de jogador de futebol é igual a malabares. Uma hora a gente está em cima, outra hora a gente está embaixo.



Sassá, o malabarista alvinegro, desfruta da boa fase no Botafogo (Foto: Richard Souza / GloboEsporte.com)

A bola do Sassá hoje está lá no alto. É o melhor momento da carreira dele. E quem diz isso é o próprio. Foi preciso passar pelo Oeste e pelo Náutico para aprender. Ele diz que amadureceu nessas duas saídas temporárias do Botafogo.

- Foi importante para que eu me conhecesse melhor. Quando a gente pinta no clube, falta experiência. Mas hoje está sendo tudo mil maravilhas. Eu tenho conseguido fazer aquilo que os atacantes têm que fazer, que são os gols. E tenho dado alegria para a torcida.


E tem mesmo. Sábado passado, Sassá fez três gols na vitória por 4 a 1 sobre o Náutico, no Recife. Deixou o Botafogo mais perto da Primeira Divisão e os companheiros para trás na briga pela artilharia interna. Com 11 gols, é o goleador do clube em 2015 (Bill, que já saiu, também fez 11).



- Eu esperava fazer gols, também brigar pela artilharia, mas no Botafogo eu quero jogar, e eu espero que o professor me olhe com bons olhos.

Ricardo Gomes já disse que está de olho. Mas quer um Sassá mais constante. Para isso, o jogador mudou a rotina há algum tempo.


Sassá e a família (Foto: Arquivo Pessoal)
- Eu tenho chegado uma hora mais cedo todo dia para fazer um trabalho físico. No início do ano tive quatro lesões, mas agora estou me cuidando melhor.


E está cuidando bem de outra pessoa. Uma pessoinha que ainda não tem nem seis meses de vida, mas que mudou a vida do Sassá.


- O Murilo, meu filho, meu xodó, meu pretinho. Ele vai fazer seis meses. Já tinha falado para a minha esposa (Juliana), que se nada mais acontecesse para mim esse ano de 2015 já seria especial, por conta da chegada do meu filho. Murilo tem sido fundamental. Agora eu sou pai, vivo uma nova fase, tenho que cuidar dele.


Sassá tem contrato com o Botafogo até o fim do ano que vem. Hoje, só consegue pensar em duas coisas. Três na verdade. Gols, volta à Série A e título da Série B.


- Eles (diretoria) já me procuraram para falar de renovação. Mas agora só penso nos nossos objetivos, que estão muito próximos. Quero cumprir meu contrato no Botafogo, ficar aqui e depois a gente vê o que é melhor para o clube e para mim.


Sassá tem contrato com o Botafogo até dezembro de 2016 (Foto: Richard Souza / GloboEsporte.com)


Por Richard Souza Rio de Janeiro/GE