quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Prefeitura do Rio cobra, e dupla Vasco e Bota pode perder terrenos para CTs


Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas (Secpar) confirma que processo está em andamento e clubes dizem que ainda não foram notificados




O que parecia um sonho perto de virar realidade está perto de se tornar mais um problema. Tudo porque Vasco e Botafogo correm o risco de perder os terrenos doados pela Prefeitura do Rio em 2013 para a construção de centro de treinamentos. A informação divulgada pelo colunista Ancelmo Gois, do jornal ''O Globo'', no último sábado, foi confirmada pelo GloboEsporte.com. Segundo a Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas (Secpar), o processo está em andamento.

Publicação no Diário Oficial em abril de 2013 cedia terrenos para Vasco e Botafogo (Foto: Reprodução)
- Os clubes estão sendo notificados para apresentar cronograma das obras, sob pena de devolução dos terrenos. O processo está em andamento - informou por e-mail a assessoria de imprensa da secretaria.


As áreas ficam localizadas em Vargem Grande e foram cedidas pela Prefeitura aos clubes em 2013. Segundo a publicação do Diário Oficial na ocasião, a cessão é de 50 anos. Vasco e Botafogo dizem que ainda não foram notificados. Perguntado se o terreno ainda interessava, o presidente alvinegro Carlos Eduardo Pereira foi direto.


- Depende. Se o prefeito mandar o dinheiro para fazer o aterro, interessa. O problema é que custa R$ 10 milhões - resumiu.

Terreno que receberia CT's de Vasco e Botafogo em Vargem Grande (Foto: André Durão / Globoesporte.com)


Flu também ganhou terreno e já iniciou obras


Na época, o Fluminense também foi contemplado com a cessão de um terreno por 50 anos. A área destinada ao futuro CT do Tricolor fica localizado em Jacarepaguá, perto da Avenida Ayrton Senna e da Escola Sesc. As obras começaram no último dia 18 de junho e contam com a supervisão e injeção financeira do vice-presidente de projetos especiais Pedro Antônio Ribeiro da Silva. Sem verba, o presidente Peter Siemsen aceitou que Pedro Antônio bancasse a obra. Terá o retorno, com juros da Taxa Selic, ou com a venda de algum jogador - o que ainda não ocorreu. Caso a verba seja insuficiente, o clube buscará doações e estuda parceria com ações de marketing para arrecadar dinheiro.


O CT do Flu terá três campos oficiais, área de suporte (lavanderia, garagem, depósito para materiais) e área do futebol (vestiários, departamento médico, fisioterapia, musculação, piscinas e recuperação dos atletas). A área de hospedagem (hotel, estrutura administrativa do futebol, sala de imprensa e refeitório), conhecida por torre de cinco andares, ficará para ser construída em um segundo momento.

Flu foi o único que iniciou as obras no terreno doado pela Prefeitura em 2013 (Foto: Bruno Haddad/Divulgação FFC)
Por GloboEsporte.com*Rio de Janeiro/GE
*Colaboraram Edgard Maciel de Sá, Gustavo Rotstein, Raphael Zarko e Thiago Lima.