quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Ricardo Gomes vê falta de inspiração e pouca ofensividade: "Foi abaixo"


Técnico alvinegro evita reclamar do árbitro em derrota por 1 a 0 para Ceará no Nilton Santos, culpa atuação previsível e diz que time só teve duas chances de gol no jogo




Os jogadores do Botafogo saíram na bronca com o árbitro Diego Almeida Real pela marcação do pênalti de Jefferson em Alex Amado que deu a vitória por 1 a 0 ao Ceará, na noite desta terça-feira no estádio Nilton Santos, em jogo atrasado da 30ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro (veja os melhores momentos no vídeo acima). Ricardo Gomes, por sua vez, evitou reclamar do juiz e focou na atuação da equipe, abaixo do esperado, especialmente no primeiro tempo.


O treinador criticou a baixa produção ofensiva da equipe, que só teve duas chances de gol: a primeira em chute desviado de Tomas e a segunda em cabeçada de Navarro nos minutos finais. Por outro lado, também valorizou o adversário, analisando-o como "bem postado e organizado".


- No primeiro tempo estávamos com três passes, mas sem movimentação, facilmente marcados pelo Ceará, muito bem postado e organizado. No segundo tempo, não estávamos em uma noite esperada. Jogamos com mais movimentação, com uma pegada mais forte. Já era o Botafogo no segundo tempo. Houve o incidente com o juiz (pênalti). O Ceará veio bem armado e ficou fechado. Ficou com a feição do Ceará esse 1 a 0. Não foi um dia de inspiração. Tentei outra formação... Mas tivemos duas chances de gol apenas. Isso é muito pouco - disse o comandante.

Ricardo Gomes reclamou da baixa produção ofensiva do Botafogo diante do Ceará (Foto: Satiro Sodre/SSPress)

Parado nos 59 pontos, três a mais do que o Vitória, o Botafogo vai defender a liderança isolada do campeonato neste sábado, quando visita o Náutico às 17h30 (de Brasília), na Arena Pernambuco. Segundo o matemático Tristão Garcia, o Alvinegro ainda precisa de mais cinco pontos para garantir o retorno Primeira Divisão.

Confira a entrevista completa:

Ceará batalhou mais?

- Não sei se merecíamos perder. Mas não merecíamos ter ganho. Eles foram melhor no primeiro tempo. No segundo, não tivemos inspiração o suficiente para virar o jogo. Estávamos com dificuldades para encontrar espaços.

Tomas

- O Tomas esteve bem contra o Bragantino. Hoje foi pouco consumido no primeiro tempo. Melhorou no segundo. Ideia com o Sassá era abrir mais. Tomas não fez bom jogo. Mas não foi pior que os outros jogadores. O time inteiro foi um pouco abaixo do que no último jogo. No primeiro tempo, foi muito abaixo.

Euforia por contagem regressiva

- Isso não é desculpa, não. Torcedor quer resolver essa situação, que não é fácil. O torcedor quer o time na primeira divisão. Não tem que tentar entender. Tem que jogar e jogar bem.

Preocupa "falta de inspiração"?

- Normal. Até para você escrever, tem dia que não vem. O primeiro tempo foi abaixo. O segundo, foi normal, mas sem inspiração. E, por vezes, tem que ganhar sem inspiração, sim. Com raça. Como já fizemos outras vezes.

Daniel Carvalho


- Ele fez um bom segundo tempo, não sentiu nada. Recuperação foi boa.

Muita coisa a ser revista para o ano que vem?

- Concordo com você. Ano que vem... Tem de resolver esse ano primeiro. Temos boa campanha. Depois do jogo contra o Bragantino, todo mundo ficou eufórico. Foi um bom jogo, só isso. E hoje foi um jogo bem mais ou menos. Nossa cabeça é pensar no próximo jogo. Agora é Náutico.

Ronaldo opção?

- Primeira vez. Achei que o time do Ceará não ia sair. Achei que poderia ficar mais pesado lá na frente, com o Ronaldo, e o Navarro saindo mais.

Pelas vaias, pensa em mudar o meio?

- A volta do Daniel Carvalho está certa. Não podemos analisar o torcedor. Temos de trabalhar muito para o torcedor. É diferente.


Por Jessica Mello e Marcelo Baltar Rio de Janeiro/GE