sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Mais "maduro" após Mundial, Luis Henrique volta para festa da Série A


Atacante passou pouco mais de mês com a seleção brasileira sub-17 e diz ter aprendido muito com a experiência. De volta ao Bota, poderá viver o acesso e título




Luis Henrique na partida contra a Nova Zelândia,
quando marcou o gol da classificação às quartas
 do Mundial Sub-17 (Foto: Fifa.com)
Luis Henrique passou pouco mais de um mês longe do Botafogo. Por uma boa causa. O atacante foi convocado para disputar o seu primeiro Mundial, o sub-17, pela seleção brasileira - antes, havia sido convocado para os times sub-15 e sub-16, mas não disputou competições internacionais. Trocando a camisa alvinegra pela verde-amarela, conviveu com atletas da sua idade de todas as partes do país, enfrentando, em campo, jogadores de várias partes do mundo. Experiência de extremo proveito, garante o próprio.


Luis Henrique volta mais "maduro" do Mundial. Agregou mais conhecimento a sua carreira. Além do que aprendeu com seus treinadores da base e com Ricardo Gomes no profissional, agora conta com os ensinamentos também de Carlos Amadeu, o comandante do sub-17 brasileiro.

Sinto-me mais maduro. Mais uma viagem internacional na carreira. Passei 35 dias longe, com atletas do Brasil todo, jogando contra atletas do mundo todo".
Luis Henrique, atacante do Botafogo


- Sinto-me mais maduro. Mais uma viagem internacional na carreira. Passei 35 dias longe, com atletas do Brasil todo, jogando contra atletas do mundo todo. Aprendi algumas coisas com o treinador Amadeu, que conversava comigo, dizia "quero que você faça isso, quero que você faça aquilo", algumas questões táticas também. Ele é um treinador que gosta do futebol moderno, time bem compacto, reagindo após perda da bola, tentando buscar a verticalização do gol... Aprende-se, sim, bastante - explica Luis Henrique.


O jovem retornou ao Rio de Janeiro nesta segunda-feira, após a eliminação do Brasil na véspera, para a Nigéria, nas quartas de final do campeonato realizado no Chile. A reapresentação no Botafogo aconteceu na quarta. Apesar do resultado não ter sido o esperado pelo jogador (e nem pelo restante do grupo), todas as partidas trouxeram algo de bom para o atleta de 17 anos.


- Tentei aproveitar o Mundial da melhor forma possível. Aproveitar a bagagem de seleção brasileira, conviver com atletas do Brasil todo, disputando uma competição de nível mundial, jogando contra seleções da Europa, da Ásia, da África... Para mim, é muito bom. Eu busquei melhorar dentro da competição, aproveitar bastante mesmo - conta.





Luis Henrique marcou dois gols no período em que esteve com a seleção brasileira, apenas um, no entanto, na competição oficial. Foi de pênalti, nos acréscimos da partida contra a Nova Zelândia, nas oitavas. Foi ele quem garantiu a classificação para mais uma fase (veja no vídeo acima). O outro balançar de rede aconteceu em amistoso contra a África do Sul, no período de treinos na Granja Comary.


Antes de ir ao Mundial, Luis projetava retornar ao Rio com o Botafogo já classificado à Série A - o que não ocorreu. Mas o jogador vê pelo lado positivo: poderá participar da festa junto dos companheiros, seja do acesso ou do título.


- Queria ter voltado já com o acesso garantido, na Série A. Mas, por outro lado, também é bom porque vou poder participar. Vai ser bom para mim participar disso, de um acesso à Série A, retornando a um lugar que, realmente, o Botafogo nunca deveria ter saído. Vai ser muito bom, curtir esse momento com a galera. Espero poder aproveitar da melhor forma possível - diz.

Luis Henrique voltou aos treinos no Botafogo na quarta-feira (Foto: Vitor Silva / SSPress)
O "xodó" alvinegro não foi relacionado pelo técnico Ricardo Gomes para a partida deste sábado, contra o Criciúma, que deve selar o retorno do Botafogo à Série A do Brasileirão. O jogador garante que está bem fisicamente para atuar, apesar de confirmar que sente uma dor no músculo posterior esquerdo da coxa. Nada de lesão, apenas o resultado de uma forte carga de treinos. Ricardo, assim, optou por não levar o garoto ao sul do país - ele pode ser chamado para o jogo contra o Luverdense, na terça, caso o treinador sinta necessidade para tal. Nesta quinta, ele treinou em separado em boa parte da atividade, correndo bastante ao redor do gramado.


Se participar da festa do acesso in loco deve ficar difícil para Luis Henrique, a do título da Série B é bem provável que o atleta esteja junto dos companheiros, uma vez que ela poderá ocorrer contra o Santa Cruz, no dia 14 de novembro, no Nilton Santos. Mas, assim como os demais colegas do grupo, o atacante também prefere ser cauteloso ao falar de taça.


- Ainda não falei com a família (sobre sair do Espírito Santo para o Rio de Janeiro na data da partida). Vamos ver os jogos agora, contra Criciúma e Luverdense. Dependendo dos resultados, posso chamar a família, sim. Seria importante tê-los aqui, comemorando junto. Para mim, será muito importante, a conquista do primeiro título como profissional, ainda mais campeão brasileiro, independente de ser Série A ou B, é campeão brasileiro.



PRÉ-TEMPORADA NA TERRA NATAL

Diferente deste ano, quando foi integrado ao grupo profissional no meio da temporada, em 2016, Luis Henrique começará os trabalhos desde janeiro. E será em um local especial para o jovem: a sua terra natal.


Nesta terça-feira, o Botafogo confirmou que realizará sua pré-temporada no Espírito Santo. O time ficará concentrado dos dias 11 a 22 de janeiro em um hotel fazenda, na cidade de Domingos Martins, região serrana do Espírito Santo, 70 km distante da capital Vitória. No dia 23, realizará um amistoso contra uma equipe do estado no Estádio Kleber Andrade.


O atacante vê a oportunidade como especial em virtude do estado, mas, principalmente, por aprender mais e por trabalhar forte desde o início, ao lado dos novos e antigos companheiros.


- Vai ser bom ter a família perto. Os amigos com certeza vão ir assistir também, vão ficar perto. Serão 11 dias de pré-temporada e um amistoso. Mas não adianta nada também ter todo mundo perto se eu não focar na pré-temporada mesmo, no que ela realmente propõe, que é se preparar para o que virá no ano todo - opina Luis, que completa sobre a importância da pré-temporada:


- Você já começa a conviver com os atletas, com quem está vindo de nova contratação. Você começa a se adaptar com a galera, com o grupo que vai se formar para o ano. Se preparar fisicamente, voltando de férias, emocionalmente, pegando o ritmo do futebol de novo... É muito importante.

Por Jessica Mello Rio de Janeiro/GE