sábado, 21 de novembro de 2015

Presidente celebra título do Botafogo e promete ouvir torcida por reforços


Perto de completar um ano no cargo, Carlos Eduardo Pereira reclama de premiação da Série B e destaca importância de Jefferson




Carlos Eduardo Pereira é festejado por alvinegros
 no desembarque da delegação (Foto:
Gustavo Rotstein/GloboEsporte.com)
Na próxima quinta-feira, Carlos Eduardo Pereira completa um ano desde que exerceu pela primeira vez a função de presidente do Botafogo. Na sexta-feira, seu trabalho chegou ao ápice, com a conquista da Série B, depois de na semana passada garantir o retorno à elite. Mas para ele, este foi apenas um primeiro passo. Fechar acordo de patrocínio e acertar contratações de maior peso são alguns dos objetivos traçados para os próximos meses. A pressão já começou no desembarque da equipe, neste sábado, quando torcedores apontavam atletas que desejavam que fossem dispensados e quem querem que permaneçam em 2016.


Em entrevista coletiva ainda no saguão do Aeroporto Internacional do Rio Janeiro, Carlos Eduardo Pereira, de medalha no peito, enalteceu a importância de Jefferson – escolhido para desembarcar com a taça nas mãos – e falou sobre a montagem do elenco para a próxima temporada.


Montagem do elenco de 2016 e renovações


Depende do acerto com atletas e empresários, mas estou otimista que a base vai ser mantida. Estamos confiantes em formar uma equipe qualificada e fazer uma temporada sem sobressaltos, podendo pensar em coisas mais altas.


Casos específicos de renovações, como Willian Arão e Daniel Carvalho

Não queria citar casos específicos porque o grupo foi muito positivo. Por exemplo, Jefferson e Luís Henrique ainda têm contrato. Vamos pensar nos específicos depois do jogo contra o América-MG. Agora vamos trabalhar o grupo, curtir e preparar um evento bacana para apresentar a taça à torcida no sábado.

Willian Arão, com a taça, pode defender o Flamengo na próxima temporada (Foto: Vitor Silva / SSPress / Botafogo)


Assédio a Willian Arão

Vamos seguir trabalhando. O assédio não nos preocupa (o jogador está apalavrado com o Flamengo), pois temos uma proteção em termos de contrato. Temos confiança de que o Arão e outros jogadores vão continuar conosco em 2016.


Resgate do Botafogo em 2015

Tivemos um ano passado sofrido, com a pior campanha da história no Campeonato Carioca. Em 2015 fomos campeões da Taça Guanabara e vice no estadual. No ano passado fomos rebaixados para a Série B e agora fomos campeões numa competição duríssima. É a certeza do dever cumprido, mas com a responsabilidade de que há muito mais para fazer.

Uma realização muito grande, um momento especial para mim como torcedor. Nada mais conta a não ser ver a torcida se realizando e gritando é campeão, num título nacional que o Botafogo não ganhava há 20 anos".

Carlos Eduardo Pereira

Sentimento do torcedor e presidente Carlos Eduardo

Uma realização muito grande, um momento especial para mim como torcedor. Nada mais conta a não ser ver a torcida se realizando e gritando é campeão, num título nacional que o Botafogo não ganhava há 20 anos. É um ano muito positivo para o Botafogo, ao contrário do que se imaginava. Temos também hegemonia no polo aquático e o tricampeonato de remo. É um ano muito especial.


Botafogo vai mais forte ao mercado de contratações?

Vamos atentos, em busca de bons negócios, como foi em 2015. O Ricardo Gomes e a comissão técnica estão mantidos, assim como o Antônio Lopes. Confio na capacidade deles de montar um grande elenco.


Poder de negociação de patrocínios

A situação melhora muito. Estávamos negociando com empresas falando de uma possível volta à elite. Agora existe a certeza de que o Botafogo estará na Série A com o título de campeão. Melhoram as condições de negociação num modo geral. A busca por patrocínio é incessante e fundamental para investirmos mais na equipe de futebol.

O Ricardo Gomes e a comissão técnica estão mantidos, assim como o Antônio Lopes. Confio na capacidade deles de montar um grande elenco.
Carlos Eduardo Pereira


Apelos dos torcedores por chegadas e saídas de jogadores

Nosso trabalho é para a torcida, então vamos tentar agradá-la e fazer o que ela pede. Vamos fazer o maior esforço possível, conversar com empresários e outros clubes. O trabalho agora muda de patamar, pensando em 2016. Vamos comemorar, porque é um título bacana. O Botafogo precisava dele para resgatar sua autoestima.


Premiação pela conquista da Série B

O valor infelizmente é pequeno, R$ 400 mil, chega a ser ridículo. Faço um apelo, em nome dos outros clubes que disputaram a competição, que olhem melhor para a Série B, porque é um valor que dificulta muito quem já passou por esse momento difícil.


Importância de Jefferson

Ele passa por um momento injusto na Seleção. Definitivamente ele não merecia (ser barrado por Dunga), e nós estamos aqui para dar força ao Jefferson, assim como ele deu força ao Botafogo quando o clube mais precisou. É uma ligação muito profunda, coisa de amor, acima do profissional, algo de muita proximidade. Por isso fiz questão que ele chegasse carregando a taça, porque é o nosso capitão, alguém que já demonstrou gostar muito do clube.


Resgate da autoestima


Um clube com a tradição do Botafogo não perde a dignidade. Ano passado foi difícil, e 2015 está ajudando a iniciar o resgate da autoestima. É um caminho longo, mas temos confiança de que ele já foi maior. Temos grandes desafios em 2016.

Jefferson chega ao Rio nos braços da torcida e deixa galera tocar na taça (Foto: Gustavo Rotstein/GloboEsporte.com)


Por Gustavo RotsteinnRio de Janeiro/GE