sábado, 12 de dezembro de 2015

Camilo planeja atuar no Rio, mas Bota trata negociação como "difícil"


Carioca, meia da Chapecoense tem o sonho de jogar na sua cidade natal e ficar próximo da família. Empresário aguarda uma resposta final do Alvinegro





São 11 anos longe da terra natal. E Camilo está pronto para voltar. Atualmente na Chapecoense, o meia gostaria de poder jogar no Rio de Janeiro, onde nasceu e toda a sua família vive, na próxima temporada. A negociação mais avançada é com o Botafogo, mas o Alvinegro trata o acordo como "difícil", especialmente por questões salariais.


É a terceira vez que o Glorioso mostra interesse em Camilo. Primeiro, no começo da temporada, mas o meia havia acabado de renovar contrato com a Chapecoense. Segundo, no meio do ano, mas o atleta não conseguiu sua liberação. Por fim, agora, no fim do ano, o Botafogo apresentou uma proposta e recebeu uma contra-proposta do empresário do jogador, que espera a resposta final do clube carioca.

Camilo está visitando a família no Rio, depois viajará pelo Brasil com a esposa e a filha (Foto: Jessica Mello)

Camilo tem contrato com a Chape até o fim de 2016. Porém, em princípio, não haveria um impedimento maior por parte do clube catarinense para liberá-lo.


- A Chapecoense abre mão, não vai prender a carreira do jogador e sabe do sonho dele de atuar no Rio de Janeiro - disse o empresário Francis Leonardo.


Também conta a favor do Botafogo a vontade do meia em atuar no Rio.


- Muito pelo lado da família, da cidade. Desde pequeno, sonho em jogar em um grande clube na cidade onde nasci. Tentei algumas vezes jogar aqui nos juniores, de Vasco e de Flamengo. Mas não deu certo. Acho que agora chegou uma grande oportunidade na minha carreira. Creio que pode acontecer. Meu sonho é jogar no Rio de Janeiro. Fico feliz por ter essa oportunidade agora, aos 29 anos. Fico muito grato. Estou esperando para ver o que vai acontecer - afirmou Camilo.




O pai do atleta é botafoguense. No entanto, Camilo garante que não há nenhuma influência do pai na decisão de atuar no Glorioso, embora reconheça a felicidade e as brincadeiras realizadas pelo parente:


- Não tem influência do meu pai. Tem várias outras questões envolvidas, família, o que o clube vai oferecer, situação do clube. Meu pai fica feliz, posta foto com camiseta do Botafogo em rede social... brinca com a situação. Mas não tem influência, não.


Enquanto aguarda um desfecho final, Camilo sairá de férias. Viajará pelo Brasil junto da esposa Paloma e da filha Fernanda, de três anos.


Por Jessica Mello Rio de Janeiro/GE