sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Pela Série A, Botafogo aumenta teto salarial


Apesar das dificuldades financeiras, clube abre exceção para atletas da 'espinha dorsal'


POR EDUARDO ZOBARAN
Ricardo Gomes, técnico do Botafogo, no Engenhão - Guito Moreto / Agência O Globo


Não é novidade que a situação financeira do Botafogo é delicada, tanto que três dirigentes do clube tiveram R$ 262 mil em bens penhorados na Justiça para quitar uma dívida com o volante Túlio. Apesar das dificuldades, o teto salarial, que há um ano foi estabelecido em R$ 50 mil, hoje não existe mais.

Para jogar a Série A, o Botafogo investirá em seis jogadores com salários mais altos. O alvinegro chegou a oferecer R$ 210 mil mensais ao atacante Lucas Viatri, ex-Boca Junior, que preferiu a proposta do Estudiantes de la Plata e seguirá no futebol de seu país. Mais jovem, o paraguaio Jorge Ortega, de 24 anos, do Luqueño, é o novo alvo do clube para a posição de Navarro, que não acertou sua renovação.

Com jogadores considerados mais caros no Brasil, o Botafogo deve investir no mercado internacional, em especial na América Latina.

- É a nossa preferência, não apenas pelos custos, mas também pela quantidade de opções - explicou o presidente Carlos Eduardo Pereira.

Com 1,91m de altura e com passagem por clubes modestos de seu país, o zagueiro argentino Joel Carli, de 29 anos, que estava no Quilmes, já acertou. Também com 29 anos, o volante equatoriano Pedro Larrea é mais um que está prestes a vir. Ele estava na LDU de Loja e jogou por LDU de Quito e Barcelona de Guayaquil, todos do Equador.

- Vamos mudar o sistema de montagem da equipe feito em 2015, que era mais homogêneo. No ano que vem, vamos ter uma espinha dorsal com um pouco mais de investimento, cerca de seis jogadores, e compensar no restante do elenco para ter um orçamento equilibrado - disse Carlos Eduardo, que quer o time pronto já no Carioca. - Vamos equilibrar com jogadores da nossa base, como Emerson e Igor Rabello, e outras apostas.

Se a permanência de Neílton era vista como difícil, as negociações com o Cruzeiro avançaram, e ele está perto de ficar no alvinegro até o fim de 2016. O atacante de 21 anos tem contrato com o clube mineiro até o fim de 2018.

Já o volante William Arão foi liberado na tarde desta quinta-feira pela Justiça do Trabalho para negociar com outros clubes. Ele travava embate com o Botafogo, que defende ter preferência pela renovação, por causa de uma cláusula no contrato anterior. Seu destino deve ser o rival Flamengo.


Fonte: O Clobo