quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Gringos dão caldo, Bruno Silva marca, e Botafogo faz 7 a 0 no Rio Branco-VN


Alvinegro goleia time da Segundona ES em jogo-treino, gols do volante, Carli, Gegê, Fernandes, Luís Henrique, Ribamar e Rabello. Titulares fazem 2 a 0 em 45 minutos




O teste inicial de 2016 foi um treino de ataque contra defesa para o Botafogo debaixo de muita chuva. E o Alvinegro fez a sua parte goleando o Rio Branco de Venda Nova, da Segunda Divisão capixaba, por 7 a 0 em jogo-treino na tarde desta quarta-feira em Domingos Martins, região serrana do Espírito Santo. Os gols foram dos recém-contratados Bruno Silva e Joel Carli, além de Gegê, Fernandes, Luís Henrique, Ribamar e Igor Rabello. A partida foi dividida em três tempos, com os titulares apenas nos primeiros 45 minutos, quando o placar foi 2 a 0.


Foi a primeira oportunidade de observar os gringos do time em ação, maiores esperança da torcida, que compareceu em peso ao CT do Hotel Fazenda China Park com aproximadamente 500 pessoas. Eles viram os estrangeiros darem caldo: além de estufar a rede na bola aérea, Carli se mostrou um xerifão; Damián Lizio foi participativo e criou jogadas; e Gervasio "Yaca" Núñez, único do trio na equipe principal, mostrou habilidade nos dribles e categoria nas finalizações.

Recém-contratado, Bruno Silva marcou um gol e fez papel que era de Willian Arão (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Os titulares jogaram com Jefferson; Diego, Renan Fonseca, Emerson e Diogo Barbosa; Bruno Silva, Lindoso, Luis Ricardo, Gegê e Yaca; Luís Henrique. O primeiro teste acabou sendo um treino de ataque contra defesa. A defesa alvinegra sequer foi ameaçada pelo rival, que teve o atacante Zé Afonso, campeão brasileiro pelo Grêmio em 1996, em campo aos 44 anos. O setor ofensivo criou várias oportunidades, mas demonstrou dificuldade para empurrar a bola para a rede. Bruno Silva e Gegê conseguiram com chutes de fora da área na parte final do primeiro tempo, que durou 45 minutos. O volante, por sinal, orientou o time e avançou bastante, fazendo o papel que Willian Arão exercia no ano passado. O meia, por sua vez, foi um dos que mais finalizou junto com "Yaca". O argentino partiu para cima, conseguiu bons dribles e chutou muito a gol. O lado direito foi o ponto forte, com as investidas de Luis Ricardo e Diego. Luís Henrique, porém, foi discreto, pouco criou e ficou devendo para os torcedores capixabas.

Como esperado, Ricardo Gomes trocou o time inteiro para o segundo tempo, que teve durante 40 minutos a seguinte escalação: Helton Leite; Octávio improvisado na lateral direita, Carli, Emerson Silva e Jean; Diérson, Lucas Zen, Fernandes e Damián Lizio; Marcinho e Ribamar. Os mais participativos foram Lizio e Ribamar. O meia boliviano criou muitas jogadas e esteve perto do gol em chute da entrada da área, enquanto o jovem centroavante de 18 anos mostrou habilidade com a bola nos pés e ganhou aplausos da torcida. Mas quem marcou marcou não foram eles. Com a defesa reserva também sem ser incomodada, Carli subiu ao ataque e usou seu 1,91m de altura para fazer mais um de cabeça, após cruzamento de Jean - o zagueiro argentino tem o perfil de xerifão e incentivava os companheiros o tempo todo no portunhol "buera, buera". E o quarto foi de Fernandes, de carrinho, si atirando na bola lançada por Octávio na área.

Torcedores do Botafogo improvisaram uma arquibancada no morro perto do campo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Para a etapa final, que teve duração de 30 minutos, o time foi armado com Saulo, Octávio ainda improvisado na direita, Igor Rabello, Emerson Silva e Jean; Matheus Fernandes, Diérson, Leandrinho e Marcinho; Ribamar e Luís Henrique. Ricardo Gomes deu mais uma chance ao jovem titular de 17 anos, e desta vez o atacante não decepcionou. Não foi brilhante, mas deixou o dele após mais uma assistência de Octávio. Jean também foi garçom pela segunda vez ao cobrar escanteio na cabeça de Ribamar, que marcou o sexto. E de novo pelo alto, Igor Rabello marcou o sétimo, dando números finais ao jogo-treino. Do time que terminou em campo, apenas o zagueiro Emerson Silva não foi formado pelo Botafogo.


Por Marcelo Baltar/Domingos Martins, ES/GE