quarta-feira, 2 de março de 2016

Mesmo reserva com Dunga, Jefferson mira vaga olímpica: "Tenho condições"


Goleiro mostra otimismo em ser convocado pela seleção nesta sexta e faz lobby por renovação de Airton e Gegê no Botafogo: "Vivem grande momento, nada mais justo"





Jefferson negou desentendimento com Dunga por
ter sido barrado (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)
Luís Henrique, Neilton e agora Jefferson. Clube que mais cedeu jogadores para a Seleção em Copas do Mundo, o Botafogo vive a expectativa pela convocação da seleção olímpica nesta sexta-feira, na CBF. Depois de os dois jovens atacantes, de 17 e 22 anos respectivamente, nesta quarta-feira foi a vez do goleiro, de 33, mostrar otimismo em ser chamado por Dunga para uma das três vagas permitidas para atletas com mais de 23 anos. Mesmo sendo atualmente reserva de Alisson no time principal nacional, o ídolo alvinegro disse ter condições de ser titular e ressaltou que não teve nenhum desentendimento com o treinador do Brasil - em novembro, durante participação no programa "Bem, Amigos!", do SporTV, ele chegou a dizer que esperava ter mais crédito com o comandante ao ter sido barrado.


- Expectativa é a mesma dos anos anteriores, permanecer na seleção, brigar pelo meu espaço. Em nenhum momento eu e o Dunga brigamos, a gente sempre se entendeu. Estou na expectativa de ser convocado, representar o nosso país, respeitando meus companheiros, mas tenho condições de ser titular - frisou.


A confiança de Jefferson passa pelo bom momento dele e da defesa do Botafogo, que só levou quatro gols em oito jogos na temporada, sendo três no Carioca - é o menos vazado do estadual ao lado do Flamengo. O goleiro elogiou a postura do Botafogo, de começar a morder na marcação lá no ataque, e elogiou a dupla Carli e Emerson, autor do galo de falta no empate por 1 a 1 com o Vasco no último domingo, em São Januário.

Em nenhum momento eu e o Dunga brigamos, a gente sempre se entendeu. Estou na expectativa de ser convocado, representar o nosso país, respeitando meus companheiros, mas tenho condições de ser titular"
Jefferson, goleiro do Botafogo e da Seleção


- Até a gente se emocionou. É um garoto que vem conquistando espaço no time, o Ricardo (Gomes) acreditou sempre no trabalho dele. Não somente pelo gol, que foi a cereja do bolo, mas pelas atuações que vem tendo. Ele nem conseguiu dormir, ficou lá chorando, mas faz parte do momento do garoto. Importante até a própria liderança do Carli. Deixou bem claro que é um cara que fala bastante, orienta, independentemente se fala português ou não.


Jefferson também foi questionado sobre o desejo do Botafogo em renovar com Airton e Gegê, dois dos principais nomes da equipe neste início de temporada - a diretoria se reuniu com o empresário da dupla na última terça e apresentou proposta até o fim de 2017. O goleiro aprovou a iniciativa e fez lobby pela ampliação do contrato dos dois, que vai só até o término do Carioca.


- São dois jogadores importantes, que um vivem grande momento, nada mais justo do que o interesse em renovar com eles. O Gegê é guerreiro, jovem, esforçado e talentoso. Uma joia que o Botafogo tem e deve valorizar. E o Airton é fundamental nessa equipe, peça que faz muita diferença, é a nossa coluna, vamos dizer assim. Jogador experiente, dá ritmo ao jogo e está o vivendo seu melhor momento no Botafogo. Está com cabeça, antigamente cobravam ele pela agressividade dentro de campo. É um jogador que quando fica fora faz muita diferença.


Já classificado, o Botafogo cumpre tabela no próximo domingo contra o invicto Boavista, às 16h (de Brasília), em São Januário. Ricardo Gomes ainda vai decidir se irá poupar jogadores, mas se quiser dar ritmo ao time e manter a formação, terá que achar um substituto para Airton, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. As opções para a posição são Lucas Zen, Dierson e Matheus Fernandes, mas há a alternativa de mudar o esquema, voltar a usar Rodrigo Lindoso como primeiro volante e entrar com Fernandes avançado, ou um próprio meia para ser mais ofensivo.

Por Thiago Lima/Rio de Janeiro/GE