quarta-feira, 2 de março de 2016

Imóvel do Botafogo avaliado em R$ 7,2 milhões não é arrematado, e será vendido pela melhor oferta



Carlos Eduardo Pereira alega que acordo era desvantajoso para o Alvinegro Foto: Marcos Tristao / 

Aconteceu nesta terça-feira a primeira rodada do leilão do 33º andar do Edifício Santos Dumont, na Rua Santa Luzia, no Centro, que pertence ao Botafogo. Mas não houve interessados em arrematar o bem que tinha lance mínino de R$ 7,2 milhões.

Na segunda rodada, marcada para o dia 16, o imóvel não precisará ser arrematado pelo valor de avaliação. O juiz determinará uma porcentagem mínina sobre o lance inicial, e a melhor oferta do dia será a vencedora.

O imóvel foi à leilão após o Botafogo descumprir um acordo feito em 2011 para quitar dívidas relativas ao condomínio.

À época, o clube pagou R$ 2,5 milhões à vista e parcelou o restante do débito em 72 vezes. As prestações, no valor de R$ 36 mil, eram reajustadas anualmente.

Em abril do ano passado, a diretoria deixou de honrar o compromisso. O presidente alvinegro Carlos Eduardo Pereira alegou que houve a necessidade de priorizar outras despesas e que o arranjo feito em 2011 era desvantajoso.

— O acordo foi muito negativo para o clube. Nós pagávamos muitos juros — explicou o presidente.

Já a Ferj transferiu o jogo de domingo entre Boavista e Botafogo, válido pela última rodada da primeira fase do Estadual, para São Januário.

O horário do confronto, que estava previsto para ocorrer em Bacaxá, foi mantido: 16h. Essa será a quinta vez em oito jogos que o Alvinegro atuará na casa vascaína neste Estadual.


Fonte: Extra/Agência O Globo
João Pedro Fonseca