domingo, 24 de abril de 2016

Ricardo Gomes elogia maturidade da molecada do Bota: "Por isso a vitória"


Técnico do Botafogo rechaça responder o descrédito apontado antes da competição: "Estou preocupado a cada dia melhorar o time". Alvinegro está na final do Carioca






O Botafogo está na final do Carioca. Desacreditado no início da competição, o clube chega à decisão do estadual com apenas uma derrota no currículo. Líder do Alvinegro, Ricardo Gomes preferiu deixar o crédito pessoal de lado e elogiou a maturidade que enxergou num time recheado de garotos. O time iniciou a vitória contra o Fluminense, neste domingo, em Volta Redonda, com cinco jogadores da base - Ribamar ainda foi o autor do gol do triunfo. O técnico ainda elogiou o primeiro tempo da equipe, classificado como "quase perfeito".


Ricardo Gomes descartou dar uma resposta aos
 críticos (Foto: Alexandre Durão)
- Tivemos várias oportunidades no primeiro tempo, mas não conseguimos o gol. Dominamos, tivemos várias oportunidades, mandamos no jogo. O primeiro chute do Fluminense foi aos 30 do primeiro tempo. Fizemos um primeiro tempo quase perfeito. No segundo, o Levir mudou e equilibrou. Com a perda do Carli, sofremos um pouco, mais nas jogadas aéreas. Mesmo assim o time mostrou maturidade, mesmo sendo um time extremamente jovem. Por isso a vitória.


Ricardo Gomes ainda descartou dar resposta àqueles que insistiam em colocar em dúvida a capacidade do time do Botafogo. Principalmente no início do Campeonato Carioca.


- Não estou preocupado em responder ninguém. Estou preocupado a cada dia melhorar o time do Botafogo. Minha preocupação é essa. Se começamos desacreditados e hoje estamos na final, isso não é meu problema. Não é a primeira vez e não será a última. Temos que evoluir a cada dia - disse.


O Botafogo irá enfrentar o Vasco, que eliminou o Flamengo, na final do Carioca. Os jogos serão realizados no Maracanã. Ricardo afirma que o Alvinegro é um conhecedor do adversário. E dos números apresentados por ele na temporada. O primeiro jogo da final será em 1º de maio. O segundo, dia 8.


- O Vasco vem de 22 jogos de invencibilidade. Esse é o time que foi armado pelo Jorginho no ano passado, não conseguiram fugir do rebaixamento, mas o time está montado, esquematizado e equilibrado. O Vasco é um grande adversário. Nos enfrentamos duas vezes nesse ano, uma derrota e um empate. Tenho certeza que serão dois grandes jogos.


Confira outros tópicos da coletiva de Ricardo Gomes


Favoritismo do Vasco?
Vendo a imprensa durante a semana, acho que todos davam a imprensa como favorito. Ponto. Conseguimos. Agora vamos pensar no Vasco. Mas com bastante confiança. Um título seria muito bom ao Botafogo.


Motivação
É o nosso trabalho. Temos que motivar os jogadores. Mas acho muito mais importante no trabalho durante a semana do que no discurso. Sabíamos que o Fluminense vinha de um desgaste de uma final durante a semana e pegamos pesado durante o primeiro tempo.


Ribamar
Ele foi importante, ele tem uma força que incomoda os zagueiros e tem uma mobilidade. O jogo aéreo não é o ponto forte dele, mas fez o gol dessa forma. Estamos trabalhando isso, e pelo visto ele assimila muito rápido. O interessante é que ele tem apenas 18 anos. Ele evoluiu muito desde janeiro. Isso nos dá esperança de grandes dias


Final no Maracanã
Isso foi um achado. Até que enfim. Voltamos a nosso local favorito.


Problemas na defesa
Infelizmente, já pensei nisso. Mas eu tenho o Renan Fonseca e o Emerson Silva, apesar de tudo o que ouvimos nesses quatro meses. Temos um elenco equilibrado e vamos dar trabalho ao Vasco


Time misto na Copa do Brasil?
Não tenho planos de poupar. É uma competição, e temos que passar. Se você inventa muito, pode acabar se complicando. Evidente que vamos pensar na Copa do Brasil e na final. Mas poupar o time inteiro, não. É possível poupar um ou dois jogadores.


Leandrinho
Ele entrou muito bem nos três jogos que saiu do banco. Na semana anterior ao jogo do Boavista, ele teve uma semana muito boa. Merecia uma oportunidade. Ele se escalou. É um bom jogador. Apesar da pouca idade, é um cara que vê o jogo muito bem. E não jogou na posição dele. Ele jogou na direita, mas costuma jogar pela esquerda. Foi ele que buscou a posição. Eu estava apenas observando o trabalho dele desde janeiro. Ele estava pedindo passagem. Ele está querendo um lugar ao sol. Eu dei, e ele não deu para trás não. Teve uma boa atuação.



Fonte: GE/Por Marcelo Baltar/Volta Redonda, RJ