sábado, 23 de abril de 2016

Sassá, Aquino e mais um: Botafogo planeja trinca para ataque embalar


Os dois primeiros já estarão à disposição no Brasileiro, mas clube tem interesse em Kleber Gladiador e William Pottker. Um camisa 10 experiente também é alvo




É de conhecimento público que o Botafogo se movimenta para se reforçar para o Brasileirão. Apesar da boa campanha no Carioca, o departamento de futebol acredita que o campeonato nacional será um peso muito maior nas costas da garotada. E com o setor defensivo aparentemente ajustado – melhor defesa do estadual -, a prioridade é o ataque. Até por isso o clube busca um nome de peso, mas “cascudo", para reforçar o setor.

Duas novidades já estão asseguradas. Após quase seis meses afastado por conta de uma cirurgia no joelho, Sassá voltou a treinar, aparenta nos treinos estar em ótima forma e já estará à disposição de Ricardo Gomes para o início do Brasileirão. A outra é Anderson Aquino. O atacante, que já treina no clube, deve assinar no início da próxima semana.

- Já viu o Sassá treinando? Esse é um bom reforço. O Aquino está fazendo exames, e tem mais um. Sassá, Aquino e mais um. Não precisa mais. Não quero trabalhar com 40 jogadores - disse o técnico Ricardo Gomes. 

Sassá e Aquino vão reforçar o Botafogo no Brasileiro. Ricardo Gomes quer mais um (Foto: GloboEsporte.com)

Esse “mais um” ainda é uma incógnita. Com situação financeira delicada, o Botafogo não pode errar e planeja dar um tiro certeiro. Após a negativa do chileno Canales e a demora de Júnior Dutra, os alvos, agora, são Kleber Gladiador e William Poktter. O primeiro é um sonho antigo, mas o Coritiba não tem intenção de negociá-lo, e as conversas não evoluíram nos últimos dias. A situação de Potkker é menos complicada, apesar de o atleta do Figueirense também despertar interesse da Ponte Preta.


CLUBE TAMBÉM BUSCA UM CAMISA 10


A prioridade é o ataque, mas o Botafogo também busca um meia mais experiente para vestir a camisa 10. Para o setor, o clube já acertou com Marquinho, do Macaé, que se apresenta no início de maio. A comissão técnica, no entanto, vê o jovem como uma aposta. 

Alex esteve próximo, mas o negócio esfriou (Foto: Alexandre Lops/Internacional)

O Botafogo esteve próximo de Alex. O Inter liberou, o jogador estava disposto a defender o Alvinegro, mas a família esfriou a negociação por não se animar a morar no Rio de Janeiro. Renato Cajá também foi observado. Porém, o meia, que pode pintar no Santa Cruz, tem um custo benefício alto, na opinião da diretoria alvinegra.


Após falar publicamente que o acerto com Alex estava 90% concretizado e ver a negociação andar para trás, a diretoria do Botafogo assumiu a postura de não comentar sobre reforços até que o acerto esteja sacramentado. Apesar da cautela nas declarações, o clube tem pressa.


Fonte: GE/ Por Marcelo Baltar/Rio de Janeiro