terça-feira, 5 de abril de 2016

Time misto do Bota abre brecha para Luís Henrique e Neilton: veja números


Cotados para serem titulares diante do Coruripe, na estreia do Alvinegro na Copa do Brasil, atacantes tentam evoluir rendimento na temporada e recuperar espaço perdido



Destaque do Botafogo em 2016, Ribamar viajou com o Botafogo para a estreia na Copa do Brasil, na noite desta terça-feira, às 21h30 (de Brasília), contra o Coruripe. Mas a tendência é que o garoto, que disputou todos os jogos do time na temporada até aqui, seja mais um poupado e comece no banco do estádio Gérson Amaral. O que abriria brecha para as voltas de Luís Henrique e Neilton, dois ex-titulares da equipe que perderam espaço este ano: o primeiro iniciou a maioria dos jogos na primeira fase do Campeonato Carioca, mas só ficou três minutos em campo na Taça Guanabara; e o segundo apenas começou jogando uma das nove partidas que disputou. Para convencer o técnico Ricardo Gomes, eles vão precisar melhorar os seus números.

Luís Henrique e Neilton formaram ataque titular do Botafogo apenas duas vezes, ambas em 2015 (Foto: INFOESPORTE)

Os dois têm até um aproveitamento de gols por finalização maior que Ribamar, atual dono da posição: enquanto o titular soma dois gols em 26 tentativas, média de uma bola na rede a cada 13 arremates, a de Luís Henrique é de um gol a cada 5,5 conclusões, e a de Neilton, um a cada três. Porém, ambos finalizam bem menos: média de 1,2 e 0,33 por jogo, respectivamente, contra duas de Ribamar por partida. E juntos, eles só formaram a dupla de ataque inicial do Botafogo em duas oportunidades e ainda não venceram: derrota para o Paysandu por 3 a 2 e empate por 0 a 0 com o América-MG, ambas no Estádio Nilton Santos pela Série B de 2015.


LUÍS HENRIQUE: MAIS PARTICIPATIVO, MENOS DECISIVO






Luís Henrique foi titular em quase toda a primeira fase do estadual, jogou 489 minutos e marcou dois gols nas vitórias sobre Resende e Cabofriense (veja no vídeo acima). Chegou a formar dupla com Ribamar, mas teve suas atuações por vezes criticadas por Ricardo Gomes e acabou perdendo espaço quando Salgueiro entrou no time. O jovem de 18 anos só estreou na Taça Guanabara no último sábado, ao entrar já nos acréscimos do empate com o Flamengo. Os números do atacante no Carioca mostram que ele é participativo, finaliza pelo menos uma vez por jogo, mas vem sendo pouco decisivo: tem média de um gol a cada quatro partidas e meia.

Números
Minutos jogados: 489
Jogos disputados: 9 (6 como titular)
Gols: 2
Finalizações: 11
Impedimentos: 6
Média finalização/jogo: 1,2
Média gol/finalização: 1 a cada 5,5


NEILTON: POUCOS MINUTOS E ESCASSEZ DE FINALIZAÇÕES




Titular do Botafogo na Série B do ano passado, Neilton acabou largando em 2016 atrasado. Isso porque o atacante sofreu uma lesão na coxa esquerda na pré-temporada e também tratou um desequilíbrio muscular detectado na mesma perna. Assim, ele só estreou contra a Cabofriense, na quinta rodada, e de cara marcou um gol de pênalti (veja no vídeo acima). Mas foi só. O atacante de 22 anos vem sendo aproveitado nos jogos, porém, foi titular uma única vez. Quando entra, costuma fazer fumaça e incendiar a equipe, mas os números do Carioca mostram que ele tem sido um jogador de poucas finalizações: tem média de apenas uma a cada três partidas.

Números
Minutos jogados: 296
Jogos disputados: 9 (1 como titular)
Gol: 1
Finalizações: 3
Impedimentos: 6
Média finalização/jogo: 0,33
Média gol/finalização: 1 a cada 3


Fonte: GE/ Por Thiago Lima/Rio de Janeiro