sexta-feira, 27 de maio de 2016

"Mágico", "líder", "lesões"... Jornalistas chilenos apresentam perfil de Canales


Repórteres que acompanharam centroavante na La U elogiam faro de gol do novo camisa 9 do Botafogo, mas alertam para os problemas físicos e citam "infiltrações"





Bola na rede: Canales tem 55 gols em 95 jogos em três
 anos pela La U (Foto: AP Photo / Nabor Goulart)
Depois do sucesso do argentino Carli e a afirmação aos poucos do uruguaio Salgueiro, os torcedores do Botafogo estão esperançosos para a chegada do chileno Canales, o último dos gringos contratado para o elenco - o boliviano Lizio e o argentino "Yaca", por sua vez, ainda não vingaram. O centroavante de 34 anos chegará na semana que vem a General Severiano com status de artilheiro e para ser o camisa 9 que a diretoria tanto buscou em 2016. O GloboEsporte.com consultou jornalistas esportivos do Chile para saber o que os alvinegros podem esperar de acordo com sua passagem pela Universidade de Chile, a La U. Matías Parker, do jornal "La Tercera", Cristian Salas, do diário "AS Chile", e José Pérez, da "Rádio Cooperativa" deixaram claro: seu talento e faro de gol são inquestionáveis, mas a parte física é uma preocupação.


O retrospecto pela equipe chilena, de fato, mostra o instinto goleador: foram 55 gols em 95 partidas oficiais durante três temporadas na La U (2011, 2014-2015 e 2015-2016). Porém, nesse ano disputou só 11 jogos e balançou a rede apenas três vezes. O motivo pela queda de rendimento, segundo os jornalistas, é seu condicionamento físico após seguidas lesões no joelho e no tornozelo. Ainda de acordo com os relatos, o jogador chegou a recorrer a infiltrações, procedimento que consiste em aplicações de medicamentos anti-inflamatórios nas articulações, reduzindo as dores e possibilitando a prática esportiva - o presidente alvinegro, Carlos Eduardo Pereira, publicou em sua conta no Twitter que tanto Canales quanto os demais reforços "serão avaliados previamente pelo departamento médico do clube".


Confira os depoimentos dos jornalistas:


GloboEsporte.com: quais são as características do Canales? Suas qualidades e defeitos?


Parker: Canales é um jogador muito técnico. Tem bom arremate e é capaz de definir uma partida. É um líder em campo. Seu principal defeito é seu físico. Não aguenta jogar três partidas seguidas e acumula lesões que o obrigam a treinar separadamente.


Salas: é um atacante com potência física, tem bons cabeceio e arremate de longa distância. Seu defeito é a idade e o estado físico que não o permitiram jogar com regularidade durante os últimos 18 meses. Estando em boa forma, é uma grande opção.


Pérez: Canales é um grande jogador, tem faro de gol, bom na bola parada, cabeceia bem. E com o passar dos anos de centroavante também se acostumou a vir um pouco de trás, como ponta. Seu defeito é que foi perdendo velocidade.


Como foi o desempenho dele este ano pela La U?


Parker: este ano foi mal na La U. Jogou muito pouco e esteve longe do nível que acostumava mostrar. Não se destacou.


Salas: no último semestre foi muito mal. Jogou muito pouco e só marcou três gols. Tem sérios problemas no joelho e no tornozelo.


Pérez: neste último ano não foi muito bem já que sofreu lesões. Ele se esforçava muito para voltar, inclusive usava infiltrações para jogar.


Por que a La U o liberou, se seu contrato era até o fim de 2017?


Parker: La U decidiu por sua liberação porque não estava bem com Beccacece (técnico), que realiza trabalhos de muita exigência. É um jogador que recebia um salário muito alto para o pouco que jogou.


Salas: é bastante estranho, ele argumentou que não se sentia em condições para seguir jogando em uma equipe de alta exigência como a La U. Se for assim, é impossível que possa jogar no Brasil, onde a exigência é ainda maior. Para a La U, estava se tornando um problema ficar com Canales. Seu estado físico o impedia de jogar e era o salário mais alto do plantel.


Pérez: o jogador pediu para sair, e por um acordo mútuo permitiram sua saída. Assim, La U também deixa de pagar um dos salários mais altos.


Canales é um ídolo para a torcida da La U?


Parker: não sei se é um ídolo. Se destacou porque foi peça chave em vários títulos da La U, especialmente a final ganhada sobre a Universidad Católica em 2011. As pessoas, porém, estavam decepcionadas pelo pouco que jogou no último semestre.


Salas: sim. Foi destaque na época dourada do clube com Jorge Sampaoli em 2011. Ganhou dois títulos nacionais e a Copa Sul-Americana sendo titular. Voltou em 2014 e foi o cara do título desse ano também. Mais tarde, ganhou uma Supercopa e a Copa do Chile. Marcou bastantes gols, e grande parte da torcida queria sua permanência, apesar de seus problemas físicos. De todas as formas, sua saída para a China em 2012 gerou uma tensão porque foi repentina, mas os títulos em 2014-2015 fizeram a reconciliação.


Pérez: sim, ele é ídolo na La U. O apelidaram de "mágico".


Como os torcedores reagiram à saída e à ida para o Botafogo?


Parker: os torcedores não gostaram. Em 2012 viveu uma situação parecida. Deixou o clube no início da competição para ir para o futebol chinês. Depois disso, os dirigentes disseram que ele não voltaria mais para a La U.


Salas: a sua saída, reagiram com tristeza porque viram como a ida de um ídolo, mas entendendo que os problemas físicos eram sérios. A sua chegada ao Botafogo, com estranheza pelo que dizia primeiro, que não estava bem para a alta exigência da La U. Existe a sensação de que Canales e Universidad de Chile não foram honestos ao oficializar sua saída.


Pérez: os torcedores estavam muito tristes, ainda mais porque a La U teve um ano ruim e viam em Canales um de seus melhores jogadores.


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar e Thiago Lima/Rio de Janeiro