quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Bota redobra atenção com Airton para não perdê-lo na maratona de setembro


Com oito jogos em um mês, Alvinegro faz trabalho de prevenção com volante, que é um dos principais jogadores do time e vive sua maior sequência de partidas em 2016




O torcedor do Botafogo se surpreendeu com a saída de Airton aos 13 minutos do segundo tempo da derrota para o Atlético-PR, na última segunda-feira, na Arena da Baixada, em Curitiba. Por mais que Jair Ventura quisesse mudar o esquema e lançar o time ao ataque em busca do empate, normalmente não seria o volante a sair. Mas acontece que todo cuidado é pouco com o jogador, que é um dos principais nomes do Alvinegro em 2016, mas paga um preço pelas temporadas passadas. Como o próprio treinador salientou após a partida.


– O Airton tomou uma pancada, estava com um pouco de incômodo ali. O Airton paga um preço por um ano que ele ficou parado, então ele tem um pouco de dificuldade ainda de terminar o jogo, fazer os 90 minutos – afirmou o técnico, lembrando que o atleta fez só quatro jogos durante todo o ano de 2015.


De fato, se analisarmos os números de Airton na temporada, essa dificuldade fica evidente: de 22 jogos que ele disputou até aqui, em somente 10 ficou até o fim – incluindo na conta a partida contra o Bragantino na Copa do Brasil, em que foi substituído aos 44 do segundo tempo. Ou seja, menos da metade. Mas também é nítido sua evolução. Após um início de ano complicado em relação a problemas físicos, o volante já tem sua maior sequência, com seis jogos seguidos. E o clube redobrou a atenção com ele para não perdê-lo na maratona de duelos em setembro.



Só no próximo mês, o Botafogo fará oito partidas em 30 dias (veja no quadro ao lado). Começando nesta quinta-feira contra o Cruzeiro, às 20h (de Brasília), na Arena Botafogo, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. E a tendência é que Airton vá para o jogo. Ele já se apresentou melhor na reavaliação médica e está à disposição do treinador. Mas não espere vê-lo em campo muitas vezes durante os 90 minutos. Além do cuidado especial com alimentação, repouso e suplementação, o jogador pode ser preservado em determinados momentos dos jogos, de acordo com as circunstâncias.


– A preparação física está tendo uma atenção especial com o Airton devido ao desgaste dele. Estamos criando estratégias para que ele possa suportar essa maratona de jogos. Nós, por exemplo, calculamos a minutagem dos jogadores por partida. O Airton está com a sua maior sequência no Brasileiro – destacou Ednilson Sena, preparador físico do Botafogo.


Airton começou a enfrentar problemas físicos em abril, quando lesionou a coxa esquerda no clássico contra o Flamengo e perdeu toda a reta final do Campeonato Carioca. O volante ficou de molho por um mês. Quando já se mostrava recuperado e vinha treinando normalmente com o grupo, voltou a sentir a mesma contusão às vésperas do início do Brasileiro. Ele precisou ser submetido a uma cirurgia no local e só conseguiu estrear na Série A em meados de junho.


Do atual time titular de Jair, Airton só jogou mais vezes esse ano do que Sassá (18 jogos), Sidão (17) e o recém-chegado Camilo (12). Ao todo, o volante soma 62 partidas em três anos no clube.


Fonte: GE/Por Thiago Lima/Rio de Janeiro