quinta-feira, 1 de setembro de 2016

No embalo de trio, Cruzeiro goleia o Botafogo e encaminha classificação


Movido por Arrascaeta, Robinho e Ábila, time mineiro faz 5 a 2 sobre o Alvinegro no Rio de Janeiro e poderá perder até por 4 a 1 em Belo Horizonte, na volta






Mudam os times, passam os anos, e o Cruzeiro mantém sua tradição. Maior campeão da Copa do Brasil, com quatro títulos – ao lado do Grêmio –, o Cruzeiro deixou encaminhada sua classificação para as quartas de final da competição ao vencer por 5 a 2 o Botafogo, nesta quinta-feira, na Arena Botafogo, que recebeu 4.956 torcedores (4.491 pagantes, renda de R$ 143.920). No time celeste brilharam as estrelas de Arrascaeta, Robinho e Ábila, que deixaram a equipe de Mano Menezes em ótima situação. Já o Alvinegro, mesmo com boa atuação de Sassá, terminou a partida vaiado pela torcida.


As duas equipes voltam a se enfrentar no próximo dia 21, em Belo Horizonte. Em grande vantagem, o Cruzeiro por perder 3 a 0 ou 4 a 1 para garantir vaga nas quartas de final. Já o Botafogo se classifica somente se vencer por quatro gols de diferença ou por três, desde que seja a partir de 6 a 3. Se o Alvinegro fizer 5 a 2, a decisão será nos pênaltis.


Ábila voa para comemorar um de seus
dois gols na vitória sobre o Botafogo
(Foto: Agência Estado)
Faltou técnica, mas não faltou vontade a Botafogo e Cruzeiro na primeira metade da partida. Mesmo sem conseguir construir jogadas consistentes, as duas equipes buscaram o gol o tempo todo, tornando a partida movimentada. Pelo lado Alvinegro, Sassá era a principal ameaça. Com o auxílio dos laterais, o centroavante incomodou a defesa celeste e abriu o placar aos 37 minutos, de cabeça, após cruzamento de Diogo Barbosa. Mas o time mineiro seguiu pressionando até empatar aos 45, depois que o árbitro viu pênalti de Renan Fonseca em Henrique. Ábila cobrou e fez 1 a 1.


O intervalo que começou conturbado com a revolta dos jogadores alvinegros com o pênalti assinalado seguiu tenso com a detenção de integrantes de torcidas organizadas do Botafogo por uma confusão com policiais. Quando a bola rolou, os gols voltaram. Primeiro, Sassá marcou mas o bandeira assinalou impedimento erradamente. Aos 13 minutos, o zagueiro Emerson fez contra ao cortar uma bola chutada por Robinho, após lindo passe de Arrascaeta, que seguia para a defesa do goleiro Sidão – o juiz, no entanto, deu o gol para Robinho. Logo depois o Botafogo igualou o placar com Neilton, que aproveitou um ótimo cruzamento de Luis Ricardo e a falha na marcação da defesa do Cruzeiro. Mas quem disse que os mineiros estavam satisfeitos? Aos 18 minutos, Rafael Sobis partiu em velocidade e cruzou para Ábila, que se jogou na bola e, meio de peito, desviou para fazer 3 a 2. 


Defesa do Botafogo se enrolou na marcação e
facilitou a vida do Cruzeiro na partida
(Foto: André Durão)
Nessa altura a defesa do Botafogo já estava escancarada o suficiente para o Cruzeiro fazer mais um. Em nova jogada de Arrascaeta, Robinho recebeu e fuzilou cruzado, marcando o quarto. Eleito pela torcida local o vilão da derrota, Renan Fonseca teve ótima chance de diminuir a desvantagem, mas sua cabeçada parou na ótima defesa do goleiro Rafael. No último lance da partida, o zagueiro voltou a se enrolar, agora com Luis Ricardo, e deixou a bola limpa para Henrique completar e fazer o quinto gol do Cruzeiro.


Os próximos jogos das duas equipes são clássicos regionais no meio da semana que vem, pelo Campeonato Brasileiro. No feriado de 7 de setembro, o Botafogo enfrenta o Fluminense na Ilha do Governador. No dia seguinte, o Cruzeiro duela com o América-MG, no Independência.

Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro