sábado, 29 de outubro de 2016

Com maior público em sua arena, Botafogo para no goleiro do Coritiba


Wilson, com várias grandes defesas, garantiu o 0 a 0 na Ilha do Governador








O Botafogo tentou de todas as formas sair com os três pontos em dia de público recorde na sua arena - 13.750 pagantes, superando a partida contra o Atlético-MG -, mas parou em um paredão alviverde, o inspirado goleiro Wilson. Com pelo menos cinco grandes defesas, ele garantiu o 0 a 0 na arena na Ilha do Governador. O resultado, para os paranaenses, não permite um grande alívio na corrida contra a degola mas representa um ponto fora de casa e, para os alvinegros, também não causa grandes estragos na briga por uma das vagas na Libertadores em 2017.

Foi o primeiro empate da equipe alvinegra sob comando de Jair Ventura. Com 54 pontos, quatro de distância para o sétimo colocado, o Corinthians, o time alvinegro pode até perder na próxima rodada que continuará no G-6. No próximo sábado, às 17h, o Botafogo enfrentará o Flamengo no Maracanã. Já o Coritiba receberá o Atlético-MG no Couto Pereira às 19h30 de domingo. A equipe alviverde continua em situação bastante complicada na tabela, mas os jogadores comemoraram o ponto somado no Rio de Janeiro.

Wilson parou os atacantes do Botafogo na arena
 (Foto: Andre Durão)
O jogo começou truncado, com ambos os times partindo de forma cautelosa para o ataque e apertando a marcação no meio de campo. O Botafogo foi a campo com formação ofensiva, com o trio Sassá, Pimpão e Neilton, mas era pouco eficiente. O Coritiba, visitante, esperava erros. Sidão fez uma boa intervenção aos 29, no chute de Kazim. O Botafogo só ameaçou mesmo aos 34, quando Camilo cobrou falta, Emerson Silva completou, e Wilson salvou. Aos 40, o goleiro do Coritiba tirou com a ponta dos dedos o chute de Pimpão. Já nos acréscimos, o técnico do Coritiba, Paulo César Carpegianni, acabou expulso por reclamar pedindo a expulsão de Bruno Silva por falta dura.

A etapa final começou em ritmo mais intenso, com o Botafogo partido para cima, mas esbarrando em grandes defesas de Wilson. Logo aos três minutos, de novo ele pegou um bom chute de Rodrigo Pimpão. Dois minutos depois, o goleiro alviverde parou também Camilo, em tentativa de cabeça. Aos 14, um belo chute de Neilton, com efeito, levou perigo. Sassá foi mais um a topar com o paredão. Aos 17, ele recebeu quase na pequena área, girou, e quando bateu já não tinha qualquer espaço para colocar a bola. Do outro lado, aos 22 minutos, foi a vez de Sidão também mostrar qualidade ao pegar a finalização de Amaral. Já nos acréscimos, Wilson fez mais um milagre em defesa de puro reflexo no cabeceio de Sassá.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro