segunda-feira, 3 de outubro de 2016

E agora, Jair? Como tirar Sidão para o retorno de Jefferson no Botafogo?


Em lua de mel com a torcida, atual titular vive seu melhor momento ao mesmo tempo que o ídolo alvinegro se prepara para voltar: "É bom ter opções", despista treinador



Jefferson é ídolo, símbolo, titularíssimo do Botafogo e ponto final. Mas como tirar Sidão do time? É essa pergunta que torcedores e o técnico Jair Ventura se fazem com a proximidade do retorno do goleiro titular. Há mais de quatro meses sem jogar por conta de uma cirurgia no braço esquerdo, Jefferson está liberado e vai definir de sua volta aos gramados.

O cenário é o seguinte: contratado para suprir a ausência de Jefferson, Sidão rapidamente conquistou os alvinegros e tornou-se um dos destaques do time no Campeonato Brasileiro. A cena após a vitória neste sábado sobre o Corinthians comprova a lua de mel. Após o apito final, foi o nome do goleiro que a torcida gritou. Sidão, que defendeu a cobrança de pênalti de Marquinhos Gabriel, foi o último a deixar o gramado da Arena. O camisa 1 deu várias entrevistas e depois foi ovacionado ao se aproximar dos torcedores.

- O Sidão vive um bom momento. O Jefferson é nossa grande referência, nosso ídolo, nosso capitão. Queria ter sempre essa dor de cabeça. É bom ter opções. Isso é benéfico para todos, é benéfico para o Botafogo – despistou o técnico Jair Ventura.


Sidão vem suprindo à altura a ausência de Jefferson (Fotos: Vitor Silva / SSpress / Botafogo)

As defesas de pênaltis contra Vitória e Corinthians foram decisivas, a imagem da bicicleta diante do Santos rodou o Brasil, mas o carisma de Sidão é outro ponto importante. Não só de grandes defesas vive o goleiro. O jeito manso, simples e sincero conquistou torcedores e o elenco. Hoje, o goleiro é uma das lideranças do Botafogo. Até por isso o clube já o procurou para estender o atual vínculo, que vai até dezembro, por mais um ano. Enquanto isso, não há pressa para o retorno de Jefferson.

- A lesão foi muito séria, ele passou por uma operação. Temos que ter calma. Não é uma lesão comum no futebol. Ninguém conhece o corpo do Jefferson como ele mesmo. Vamos no tempo dele. Quando ele estiver bem, tenho certeza que vai nos ajudar – disse Jair.


Jefferson sofreu uma ruptura parcial do tríceps do braço esquerdo em 12 de maio, no jogo contra o Juazeirense, pela Copa do Brasil. Cinco dias depois o goleiro foi operado no Rio de Janeiro. Há cerca de um mês, ele foi liberado pelo departamento médico para voltar a treinar com os companheiros. Velho conhecido de Jefferson, o preparador Flávio Tênius retornou ao Botafogo para ajudar nessa fase de transição. A data exata do retorno só o próprio Jefferson pode responder. O certo é que ela está próxima. E aí, Jair?


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar/Rio de Janeiro