quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Sassá entra, decide, põe o Botafogo no G-6 e afunda Inter no Z-4


Atacante é o herói e vira artilheiro do Brasileirão. Gaúchos não aproveitam tropeços de rivais, seguem com a corda no pescoço e reclamam de pênalti que decidiu o jogo





Festa em preto e branco, desespero vermelho. Botafogo e Inter chegaram à Ilha do Governador na noite desta quarta-feira com objetivos bem definidos em lados opostos da tabela do Brasileirão. Para alcançá-los, bastaria vencer pela 30ª rodada. Melhor para os cariocas que fizeram o dever de casa com o 1 a 0, gol de Sassá, agora artilheiro ao lado de Gabriel Jesus e Robinho, e entraram pela primeira vez na zona de classificação para Libertadores. De quebra, o Glorioso não corre mais nenhum risco de rebaixamento, fantasma que cada vez mais assombra um Colorado revoltado com o pênalti que decidiu o jogo.

Sassá comemora gol da vitória do Botafogo e é abraçado por Rodrigo Pimpão (Foto: André Durão / GloboEsporte.com)

Com a derrota do Sport para a Chapecoense e o empate entre Figueirense e Coritiba, um empate era suficiente para que os gaúchos colocassem a cabeça para fora d´água. O toque de mão na bola de Eduardo já na reta final da partida, entretanto, custou a saída do Z-4. O Inter, com 33 pontos, segue em 17º, e encara o Flamengo, domingo, às 17h (de Brasília), no Beira-Rio, pressionado. Já o Botafogo pulou para a quinta colocação, com 47 pontos, e seca Fluminense e Atlético-PR na quinta-feira para seguir no G-6. Domingo, o compromisso é novamente em casa, diante do Atlético-MG, também às 17h.


Um Botafogo sem pressa diante de um Internacional sem motivos para se expor por conta da situação delicada que vive na tabela. Pode parecer até clichê, mas o jogo na Ilha do Governador começou com as duas equipes se estudando. E como! Até os 30 minutos, praticamente nada aconteceu. Ou melhor, nada aconteceu além de falta para um lado, passe errado para o outro. Aí, Dudu Cearense decidiu arriscar de fora da área. Enfim, uma boa finalização, que deu início a um lá e cá interessante na reta final. Carli, Valdivia, Vitinho e Neílton tentaram, mas a etapa inicial acabou mesmo sem gols.

Vitinho arranca e deixa Emerson para trás. Atacante foi o melhor colorado em campo (Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG)

Precisando vencer para dormir no G-6, o Botafogo mudou. Jair Ventura trocou o criticado Vinicius Tanque por Sassa, mandou o time para o ataque, mas o Inter seguia lá, fechadinho, sem dar muito espaço. De vermelho, Vitinho era praticamente um guerreiro solitário contra o ex-clube e levou perigo. Chute de longe, arrancada, trabalho para Sidão. Em casa, o Alvi-Negro se mandava para o ataque, abusava das bolas aéreas. Quando colocou no chão, resolveu. Sassa tabelou com Neílton, dividiu com Eduardo, que caiu e tocou a mão na bola. Pênalti cobrado e convertido pelo próprio atacante. O Glorioso, enfim, entra na zona da Libertadores, e o Colorado agoniza no Z-4.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro