sábado, 5 de novembro de 2016

Sabores distintos: empate afasta Fla do topo, e Bota aumenta invencibilidade


Rubro-Negro chega a quatro jogos sem vitória e não consegue encostar no líder Palmeiras. Glorioso atinge sete partidas sem perder, confortável no G-6


Camilo e Rafael Vaz disputam a bola durante clássico
no Maracanã: empate sem gols (Foto: André Durão)
A igualdade no placar do Maracanã não condiz com o significado do empate em 0 a 0 para Flamengo e Botafogo, neste sábado. O resultado complicou o Rubro-Negro, que desperdiçou chance de encostar no líder Palmeiras. Para o Glorioso, que teve apenas 10% da torcida no estádio, o ponto conquistado aumentou a atual sequência invicta para sete jogos, numa campanha que deixa o time no G-6 do Campeonato Brasileiro.


Enquanto o Botafogo curte a invencibilidade e se mantém na zona de classificação para a Libertadores, o Flamengo continua em queda livre na reta final da Série A. O time de Zé Ricardo chegou a quatro jogos sem vencer, amargou outro empate no Maracanã e pode ver a diferença para o Palmeiras aumentar em sete pontos - agora, são 67 contra 63, mas os paulistas jogam no domingo, contra o Internacional, em casa.


Botafogo à la visitante

Sem o mando de campo, o Botafogo portou-se no Maracanã como se fosse realmente visitante. A estratégia de marcar forte e sair no contra-ataque rendera quatro vitórias nos últimos cinco jogos fora, e aposta funcionou no primeiro tempo. O Flamengo teve muita dificuldade na saída de bola e só conseguia clarear o jogo quando Diego assumia o comando.


Foi pelos pés do camisa 35 que o Rubro-Negro teve suas melhores chances, seja em arrancadas, passes decisivos ou mesmo finalizações, como o chute de canhota que obrigou Sidão a fazer boa defesa.


Pressa atrapalha Flamengo
O Botafogo ameaçou no primeiro minuto do segundo tempo, em chute de Neílton que Muralha foi buscar no canto. Mas logo o jogo voltou ao roteiro inicial, com o Flamengo tomando a iniciativa, mas sofrendo com a marcação do rival. Diego caiu de rendimento e não teve a liberdade de antes, o que limitou um apressado Rubro-Negro a cruzamentos e chutes de longe.


Confortável com o resultado, o Glorioso manteve a postura e chegou a ser mais perigoso: Rodrigo Pimpão, nos acréscimos, invadiu a área livre, mas chutou para froa. De qualquer forma, os 10% presentes no Maracanã saíram mais felizes do estádio.


Fonte: GE/Por GloboEsporte.com/Rio de Janeiro