terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Gatito torce por recuperação de Helton e valoriza oportunidade no Botafogo


Goleiro tem uma lesão grave na coxa direita e vira desfalque, mas departamento médico não divulga prazo. Gatito espera aproveitar espaço


Gatito falou com os jornalistas nesta segunda-feira
(Foto: Vicente Seda)
A grave lesão na coxa direita de Helton Leite abrirá espaço para Gatito Fernández voltar a ser titular do Botafogo. Apesar disso, o goleiro paraguaio está torcendo pela rápida recuperação do companheiro, que se machucou durante a partida contra o Olimpia, pela terceira fase da Libertadores.


Enquanto Helton Leite se recupera, Gatito terá ainda mais espaço: ele havia perdido a vaga no time titular por causa de uma lesão, também, e garantiu a classificação à fase de grupos da competição sul-americana ao pegar três pênaltis contra os paraguaios.


- Fiquei sabendo agora do Helton. Espero que se recupere rápido. Sei que os fisioterapeutas vão fazer o melhor para o Helton. Esse tempo de trabalho agora vai ser importante para mim, para voltar ao meu nível do ano passado, é isso que estou tentando. Essa semana vai me ajudar a me preparar para esses jogos que estão por vir - disse Gatito Fernández nesta segunda-feira, no Nilton Santos.


LEIA MAIS: Helton Leite tem lesão grave na coxa e vira desfalque no Botafogo


Já com Gatito como titular, o Botafogo entra em campo novamente só no dia 12 de março (domingo), pela Taça Rio, contra o Volta Redonda, no Nilton Santos.


Confira mais trechos da entrevista de Gatito Fernández:



Tempo no Botafogo
- Em pouco tempo no clube já passei um pouco de tudo. É um momento muito bom e feliz, não só pessoal, mas pelo grupo. Acho que foi o primeiro título do ano para o nosso time. E me deixa tranquilo saber que em pouco tempo conseguimos essa meta que tínhamos.


Partida contra o Olimpia
- No momento que eu tinha de entrar em campo, procurei ficar tranquilo. Estava consciente de que o Olimpia fazia um bom jogo, melhor até do que a gente. Tentei passar tranquilidade para os nossos companheiros. Depois do gol, torci para ir para a disputa para alongar nossa esperança.


Preparação para os pênaltis
- O pessoal do clube passou alguns pênaltis, foi uma parte isso, e um pouco do meu trabalho. Fiquei observando quando iam bater para conseguir pegar o pênalti. O mais desafiador foi do meio. Se ele bate do lado, ia ficar um pouco feio. É difícil o goleiro ficar parado . Eu vi que no domingo anterior ele bateu daquele jeito


Abraço em Helton
- Senti de ir abraçar o Helton, sabia o quanto ele queria estar no campo. Fui dar um abraço para passar que a vitória era de todo mundo, de todo o time. Ele fez um grande trabalho, estava muito seguro. Aqui no Botafogo é um elenco inteiro. Quem entrar tem de dar conta.


Fonte: GE/Por Vicente Seda/Rio de Janeiro