sexta-feira, 5 de maio de 2017

Pimpão comemora tempo livre para voltar aos 100%: " Venho jogando no sacrifício"


Atacante revela que ainda sente incômodo na coxa esquerda, minimiza jejum de gols e isenta formação com trio ofensivo de culpa por derrota na Libertadores: "A gente vinha jogando assim"




Jogando no sacrifício, Pimpão teve queda de rendimento nos últimos jogos (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Após a atividade desta sexta-feira no campo anexo do Nilton Santos, o elenco do Botafogo vai folgar sábado e domingo e, na reapresentação, terá mais uma semana cheia de treinos antes da estreia no Campeonato Brasileiro. Tempo raro em meio à maratona de jogos para recuperar as energias, e um dos que mais espera tirar proveito dele é Pimpão. Em entrevista coletiva, o atacante revelou que ainda sente do problema que sentiu na coxa esquerda, na vitória sobre o Atlético Nacional, na Colômbia, e que vem jogando no sacrifício. Mas que agora, com tempo para se cuidar, espera voltar aos 100% no dia 14, contra o Grêmio em Porto Alegre.


– Desde o jogo com o Atlético Nacional venho jogando as partidas com um incômodo desconforto, no sacrifício... Fiz exame, deu um edema (adutor da coxa esquerda) e venho trabalhando forte para estar apto a jogar. Agradecer o trabalho dos fisioterapeutas que estão conseguindo me colocar em campo. Não digo que estou 100%, mas espero estar depois dessa folga.


Até pelo desconforto, o atacante teve uma queda de rendimento nos últimos jogos e não marca há quase dois meses: seu último gol foi na vitória por 2 a 1 sobre o Estudiantes, da Argentina, na estreia da fase de grupos da Libertadores. Pimpão reconhece a cobrança, mas minimizou o jejum e isentou a escalação com o trio ofensivo de culpa pela derrota contra o Barcelona de Guayaquil.


Confira outros trechos da coletiva de Pimpão:

FOLGA
A gente vem de uma sequência grande de jogos. Agora, dos últimos jogos, com desgaste grande. Temos esse tempo para descansar e preparar. E pensar na Libertadores, podemos chegar. Além do Brasileiro, que tem primeiro dia 14.


LIÇÃO DA LIBERTADORES

Tem que ter muito cuidado porque é muito difícil, você vê outros grupos decidindo na última rodada. A nossa situação, apesar da derrota, não ficou muito complicada. Mas não podemos pensar assim, pensar em vencer e não cometer o erro que cometemos contra o Barcelona. O que a gente fez até aqui na Libertadores faz com que a gente esteja na segunda colocação. Pensar em ganhar esse jogo em casa para conseguir a vaga nas oitavas.



JEJUM DE GOLS

Desde quando cheguei jogo na mesma posição. 2015 fiz grande Brasileiro na Série B até minha saída. Retornei ano passado Série A na mesma posição. Atacante vive de gols, se não faz é cobrado. Mas meu pensamento é sempre ajudar marcando, dando assistência. Fico grato de ter ajudado da melhor maneira, mas somos cobrados sempre para fazer gol. As pessoas não veem o outro lado.


TRÊS ATACANTES
Não dou preferência, Jair que escala a equipe com quem está melhor no momento. Usa muito a meritocracia. Eu me adapto bem às quatro posições ali na frente. Joguei ano passado de centroavante, pela direita, esquerda e meio. A gente vinha jogando assim, mas com Camilo e Bruno Silva por fora, são jogadores que defendem mais que atacam.


O QUE DEU ERRADO NA TERÇA?

Não foi com relação à escalação. Foi muito vontade mesmo. Viu que foi um jogo atípico, normalmente a gente espera a equipe adversária, nesse resolveu ir para cima. Sabemos o poder de contra-ataque deles e tomamos dois gols assim. Foi esse o motivo.


BOTAFOGO 2016 PARA 2017

Time está mais maduro. Pelo fato de ter jogado a Pré-Libertadores, a Libertadores... São jogos importantes. Botafogo vai começar o Brasileiro mais maduro, e esperamos fazer um grande ano para dar muita alegria ao nosso torcedor.


Fonte: GE/Por Thiago Lima, Rio de Janeiro