quinta-feira, 13 de julho de 2017

Artilheiro nos clássicos cariocas, Roger mira posto no Brasileiro: "Entrei na briga"


Com seis gols, atacante brinca e diz que busca posto de Dourado. Bom momento, segundo ele, é reflexo da preparação fora de campo. Metade dos gols pelo Botafogo foi contra rivais






Ninguém discute que Roger cresce em jogos importantes. Dos 12 gols no ano, metade (6) foi nos clássicos cariocas. Depois de um início turbulento, Roger parece ter se encontrado no Botafogo. Após período de seca e críticas, ele deslanchou e vem sendo fundamental para a boa fase do clube.



Gol do Botafogo! Roger aproveita cobrança de escanteio e abre o placar, aos 39' do 1º T


Nesta quarta, por exemplo, Roger foi decisivo ao marcar o gol da vitória diante do Fluminense, no Maracanã, e aumentou seu bom retrospecto contra os rivais cariocas. Além desse, o atacante já outros dois contra o própro Tricolor, dois diante do Vasco, e outro contra o Flamengo (veja na tabela abaixo). Com seis gols no Brasileirão, ele já mira o líder Henrique Dourado, que tem nove.


- Não era uma constante na minha carreira (fazer gols em clássicos). Também estou surpreso, mas é fruto de trabalho. Tenho me preparado dentro e fora de campo, mentalmente e espiritualmente. Entrei na briga. Estou feliz de estar encostando no Henrique, mas o Botafogo está na frente disso. Fico feliz de estar ajudando, mas muito mais feliz pela vitória - celebrou.

Gols em clássicos cariocas em 2017

Botafogo 1 x 2 Flamengo (12/2/2017) - 1 gol
Botafogo 2 x 3 Fluminense (23/3/2017) - 2 gols
Botafogo 3 x 1 Vasco (21/6/2017) - 2 gols
Botafogo 1 x 0 Fluminense (12/7/2017) - 1 gol

Falando de Henrique Dourado, Roger reconheceu que a ausência do rival, que estava suspenso, prejudicou o Fluminense no clássico desta quarta-feira.


- Acho que faz toda a diferença. Eles perderam o artilheiro, que vive uma fase maravilhosa. Um cara que foi criticado ano passado e está ai, fazendo uma ótima temporada, mas bom que ele não jogou (risos).



Roger e Jefferson na vitória sobre o Fluminense (Foto: André Durão)


Constantemente, Roger comenta sobre a maturidade que ganhou com o passar do tempo e como ela vem o ajudando a levar com mais tranquilidade o peso de ser o camisa 9 de um clube grande.


- Estou cascudo. A gente sabe que o torcedor age com a emoção, mas aplaude também. A fase é outra, a equipe vive um momento maravilhoso. Nós podemos fazer história esse ano. Estou em uma fase mais madura. A gente sabe que uma noite como essa não é uma glória. A idade traz esse equilíbrio.


Os titulares ganharam folga nesta quinta-feira e se apresentam apenas na sexta, quando já começam a pensar no duelo diante do Sport, segunda, no Estádio Nilton Santos.


Fonte: GE/ Por Felippe Costa e Marcelo Baltar, Rio de Janeiro