terça-feira, 8 de agosto de 2017

Botafogo x Nacional: alvinegros esgotam carga, e Nilton Santos terá recorde no ano


Restam apenas ingressos para camarotes e Setor Sul, de visitantes. Carga total é de 44.661 bilhetes para jogo que vale vaga nas quartas de final da Libertadores






Com dois dias de antecedência, estão esgotados os ingressos de arquibancada para os alvinegros no jogo Botafogo x Nacional-URU desta quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), no Estádio Nilton Santos, valendo uma vaga nas quartas de final da Libertadores. Após comercializar quase toda a carga disponível com check-ins de sócios-torcedores e vendas pela internet, os últimos bilhetes acabaram nesta terça, dia em que o clube abriu as vendas em pontos físicos do Rio de Janeiro.


Restam só alguns poucos camarotes e ingressos do Setor Sul, destinado à torcida do Nacional-URU. São esperados cerca de 1.500 uruguaios, mas como a área comporta até quatro mil pessoas, há uma recomendação para que alvinegros não comprem esses bilhetes. O Gepe está orientado a retirar botafoguenses se identificados junto aos torcedores rivais.



Filas em pontos físicos agora é só para troca do e-ticket pelo ingresso físico (Foto: Thiago Pinheiro)


O Botafogo terá seu maior público no ano, superando os 38.357 diante do Colo-Colo, do Chile, na estreia da Libertadores. Mas a carga total é de 44.661. Se todo o Setor Sul for vendido, o clube pode ainda quebrar o recorde do estádio: 43.810 presentes na inauguração em 2007, no Botafogo 2 x 1 Fluminense. Para isso, o Glorioso está fazendo campanha para os sócios que fizeram check-in e não vão mais para desbloquearem seus lugares e permitirem que o clube venda os seus ingressos.


Além disso, a diretoria alerta para os bilhetes de meia-entrada vendidos por cambistas. Segundo comunicou, a fiscalização estará mais rigorosa, e quem não tem direito ao benefício terá que ir na bilheteria pagar a diferença para o preço da entrada inteira. As gratuidades para menores de 12 anos e maiores de 65 nos setores Leste Superior e Oeste Superior também estão esgotadas.


Fonte: GE/Por Felippe Costa, Marcelo Baltar e Thiago Lima, Rio de Janeiro