terça-feira, 8 de agosto de 2017

Ansiedade? Victor Luis pede Botafogo leve contra o Nacional: “Momento único”


Lateral diz que time está colhendo frutos do que vem sendo plantado desde o ano passado. Jogador fala sobre a filha recém-nascida e de seguir no próximo ano: “Desejo é fazer uma grande história”






Victor Luis, Botafogo (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)


Não que seja novidade, mas a atmosfera no Botafogo está diferente nessa semana. Os dias que precedem jogos da Libertadores costumam ser assim. Jogadores, comissão técnica, funcionários, torcedores... todos comparam a ideia e respiram a competição.


Nesta terça-feira, 48 horas antes do duelo contra o Nacional, pelas oitavas de final, não foi diferente. Ansiedade? É claro que sim. Mas também momento para desfrutar tudo o que vem acontecendo. O Botafogo está próximo de retornar às quartas de final do torneio após 44 anos.


- Temos os pés no chão, mas sabemos que plantamos desde o ano passado tudo isso que estamos colhendo hoje. Sabemos que será uma partida muito difícil, mas é um momento único Não sabemos, individualmente, quando teremos outra oportunidade na Libertadores. Temos que aproveitar, ser felizes, jogar com alegria e fazer uma grande partida – ressaltou Victor Luis.


O lateral está há pouco mais de um ano no Botafogo, mas poucos jogadores no elenco são tão identificados com o clube como ele. Em janeiro, Victor se esforçou para ter seu empréstimo renovado junto ao Palmeiras e, após algumas reviravoltas, conseguiu ficar até dezembro. O futuro? Está nas mãos dos clubes, mas o atleta não esconde seu desejo.


- E não deixo interferir dentro de campo. Mas estaria mentindo se falasse que isso não passa pela cabeça. É difícil eu falar. Quem resolve essas partes são as diretorias de Botafogo e Palmeiras. Tenho certeza que isso não interfere, mas é claro que passa pela minha cabeça. Meu desejo é continuar fazendo meu trabalho e fazer uma grande história no Botafogo.


Libertadores e renovação, no entanto, não são os únicos assuntos que vêm tomando a atenção de Victor Luis. A recém-nascida Isis, de cerca de 10 dias, também tem uma atenção especial do papai.


Nos primeiros dias fiz um bate volta para São Paulo. Chegava aqui igual a um zumbi (rs). Mas corro muito porque agora são três bocas para alimentar. Ela (filha) vem sendo um fator a mais pare eu me doar em campo. Agora tenho mais uma pessoa a mais especial para representar. Sempre foi um sonho. Olhar o rostinho dela é inexplicável. Mas ela está em São Paulo nesses dias e estou conseguindo descansar bem.


Confira mais tópicos da coletiva:


Time copeiro
Começamos o ano com duas problemas de vestibular. É claro que isso amadureceu a equipe, amadureceu os jogadores. Isso trouxe confiança, eliminamos grandes clubes. Isso ficou na memória como positivo, mas seguimos levando da mesma maneira, com os pés no chão e muita humildade


Recorde de público

Sabemos que a Libertadores tem uma atmosfera e um ambiente diferente, mas a torcida vem comparecendo em todos os campeonatos. Isso é essencial. Vem fazendo a diferença. Acho que com certeza vai bater o recorde nesse ano. E queremos dar uma resposta para todos esses torcedores que virão prestigiar e vamos em busca de uma grande vitória


Muda decidir em casa?
A torcida é um fato especial. Isso que muda, apesar de os torcedores terem comparecido nos jogos fora. Isso acaba nos motivando ainda mais.


Ansiedade
Acho que é uma ansiedade positiva. Não é algo negativo. Sabemos o quanto é difícil enfrentar o Nacional. Foi muito difícil lá. Eles vão vir diferente, tiveram mudanças. Mas o importante é o nosso ambiente leve e um grupo muito unido. Isso tem feito a diferença em campo


Fonte: GE/Por Marcelo Baltar, Rio de Janeiro