terça-feira, 31 de março de 2015

Alisson recupera espaço e ganha chance como titular no Botafogo


Contrato para ser o dono da posição, zagueiro vai mal na pré-temporada, passa por período de adaptação e recebe oportunidade na Copa do Brasil: "Estou preparado"




Alisson jogou por alguns minutos contra o Vasco e começa
 como titular nesta quarta-feira 
(Foto: Vitor Silva / SSPress)
Após quase três meses de espera, Alisson, enfim, vai começar um jogo pelo Botafogo. O zagueiro, que jogou alguns minutos do clássico contra o Vasco, vai começar a partida contra o Botafogo-PB, nesta quarta-feira, pela Copa do Brasil. Ele substitui Roger Carvalho, que ficou no Rio de Janeiro em tratamento por conta de uma pancada na coxa.

- Para mim vai ser um jogo muito importante, já que vou estrear como titular do Botafogo. Estou preparado. Vou entrar bem concentrado para ajudar. Vai ser um grande jogo – comentou Alisson, após o treino de reconhecimento no Estádio Almeidão, em João Pessoa.

Alisson estreou no segundo tempo contra o Vasco foi o último dos 13 reforços anunciados no início do ano a jogar. Na pré-temporada, o zagueiro, de 21 anos, chegou com status de titular ao clube, mas não agradou nos jogos-treino. Alisson perdeu espaço e teve de esperar por uma oportunidade.

-Na pré-temporada o René sentiu que eu ainda não estava preparado para entrar como titular do Botafogo. Foi natural. Vim evoluindo aos poucos com as orientações do René. Fui buscando melhorar no dia a dia. Hoje ele confia em mim e está me dando essa oportunidade. Espero corresponder em campo.

René Simões reconhece que Alisson sentiu no início o peso de jogar em um clube grande como o Botafogo, mas garante que o jogador está pronto para jogar.

- Conheço bem o Alisson desde quando ele estava no Paraná. Fez uma Série B excepcional no ano passado. Achei que ele seria titular. Mas é normal. Essa camisa do Botafogo é pesada. Mas ele já está se acostumando com o peso do clube, vem bem nos treinamento e teve uma estreia no Maracanã. Está pronto para jogar – analisou o treinador.

Por Marcelo Baltar João Pessoa/GE