terça-feira, 31 de março de 2015

Do título às decepções, Bill reencontra Copa do Brasil e sonha com nova taça


Centroavante relembra conquista de 2009, além de derrotas em finais e eliminação surpreendente no ano passado, quando foi artilheiro da competição




Pelo Coritiba, Bill disputa bola com Ramon, do Vasco,
em final de 2011 (Foto: André Durão / Globoesporte.com)
Bill tem muito a ver com Copa do Brasil, mas não somente pela rima. O centroavante tem um histórico marcante na competição, que volta a disputar nesta quarta-feira. Antes de chegar ao Botafogo, ele conquistou um título e disputou outras duas finais. No ano passado, apesar de uma eliminação traumática, foi o artilheiro. Agora contra o Botafogo-PB, em João Pessoa, tentará viver um novo final feliz.

Pouco tempo depois chegar ao Corinthians, em 2009, contratado do Bragantino, Bill sentiu o gosto do título. O atacante fez parte do elenco que, comandado por Ronaldo Fenômeno, conquistou a taça vencendo o Internacional na decisão. Em 2011 o centroavante esteve em campo na decisão entre Coritiba e Vasco. Mesmo sendo autor de um gol no jogo de volta, não impediu o vice, apesar da vitória por 3 a 2 no Couto Pereira.

- Foi muito bom chegar a um clube grande e ser campeão ao lado do Ronaldo. Fiquei feliz por ter jogado ao lado dele. Em 2011 foi complicado, porque o Leonardo (atacante) sofreu um pênalti, na minha opinião (supostamente cometido por Dedé, do Vasco). Então ficou marcado, porque o Coritiba estava muito próximo da Libertadores. Foi triste, mas acontece.



Detalhes como o da final de 2011 são, para Bill, exemplos de como a Copa do Brasil pode revelar resultados surpreendentes. E o centroavante viveu isso na pele no ano passado, exatamente contra seu atual clube. Em confronto das oitavas de final, Bill defendia o Ceará e marcou gols nos dois jogos contra o Botafogo. Mas sofreu com uma eliminação inesperada, com derrota por 4 a 3 no Castelão, em Fortaleza (assista ao vídeo).

- Ganhamos o primeiro jogo por 2 a 1 no Maracanã, com o Jefferson pegando um pênalti do Souza. No jogo de volta, no Castelão, começamos bem e chegamos a fazer 3 a 1. O Botafogo tirou forças não sei de onde e virou com dois gols nos últimos dois minutos. Foi um balde de água fria. Mas agora, aqui no Botafogo, preciso pensar mais alto e sei que temos que trabalhar forte, porque a Copa do Brasil é mais difícil do que o Carioca, por exemplo – observou ele, que terminou a edição de 2014 como um dos artilheiros, com seis gols, ao lado de Gabriel (Santos) e Léo Gamalho (Santa Cruz).

Integrante do elenco do Coritiba que chegou à final e perdeu para o Palmeiras em 2012, Bill adquiriu conhecimento do que de pior e melhor a Copa do Brasil tem a oferecer. Por isso, pretende conversar com seus companheiros – alguns disputando pela primeira vez – sobre as peculiaridades da competição e até mesmo sobre enfrentar o Botafogo-PB, adversário de estreia.

- O Botafogo da Paraíba é um time muito chato, que tem uma correria tremenda. Temos que tomar cuidado, porque não vai ser fácil. Espero que comece tudo da melhor forma, porque estou precisando desse título. Aqui no Botafogo espero essa conquista que venho buscando faz tempo - afirmou o camisa 9 alvinegro.

Por Gustavo Rotstein Rio de Janeiro/GE