sexta-feira, 20 de março de 2015

Botafogo pede retratação e fecha as portas do Engenhão para Fluminense


Vice-presidente administrativo alvinegro, Anderson Simões avisa que já comunicou a Ferj sobre veto a jogos do Tricolor no estádio e alfineta: "Se quiser, jogue em Xerém"



A guerra do Fluminense com a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) vem envolvendo também Botafogo e Vasco, que estão do lado da federação e foram alvos de críticas recentemente do presidente tricolor, Peter Siemsen, entrevista ao jornal "Extra". E o racha com o Alvinegro vai fazer o time das Laranjeiras ficar com menos uma opção para sediar seus jogos. Depois de o mandatário do Bota, Carlos Eduardo Pereira, responder em nota oficial que as declarações do dirigente do Flu foram "ofensivas e descabidas", nesta sexta-feira o vice-presidente administrativo do clube, Anderson Simões, fechou as portas do estádio Nilton Santos - como a diretoria rebatizou o Engenhão - para o rival enquanto não houver uma retratação.

- O Fluminense não joga no estádio Nilton Santos enquanto não houver uma retração daquilo que foi dito. Se quiser, jogue em Xerém - alfinetou o dirigente.

Estádio já recebeu um jogo do Flu em 2015, no clássico contra o Vasco em fevereiro (Foto: André Casado)

O estádio, que foi palco do clássico entre Fluminense e Vasco, estava cotado para receber o jogo Fluminense x Barra mansa, do dia 29, pela 13ª rodada do Campeonato Carioca. Mas o veto alvinegro fez a Ferj marcar a partida para o Moacyrzão, em Macaé.

- Já avisamos à federação que não vai ter jogo do Fluminense no estádio - comunicou Simões.

A crítica de Peter Siemsen ao Alvinegro é pela aproximação do clube com a entidade. Segundo o presidente tricolor, o "Botafogo está totalmente alinhado com a federação, não sei o que eles querem com isso. Talvez uma conta bancária mais alta". Em nota publicada no site oficial do Bota, Carlos Eduardo Pereira disse que "não compete a nenhum dirigente de qualquer outra entidade, opinar ou julgar os atos da direção do Botafogo. (...) As levianas declarações (...) demonstram, claramente, a postura oportunista do Fluminense."


Por Gustavo Rotstein Rio de Janeiro/GE